Programa de Parceria de Investimentos (PPI) apresenta 55 novos projetos em 2017 – reporta Felipe Montoro Jens

Foram anunciados, no último dia 7 de março, os futuros projetos que serão ofertados à iniciativa privada em um encontro realizado no Palácio Planalto pelo Conselho do Programa de Parcerias de Investimento (PPI). Ao todo, 55 novas propostas foram lançadas, incluindo linhas de transmissão de energia, portos, ferrovias e rodovias. Também foram apresentadas algumas propostas para a renovação de concessões que já estão em vigor, reporta Felipe Montoro Jens, especialista em Projetos de Infraestrutura.

Criado pelo governo federal, o Programa de Parceria de Investimentos almeja proporcionar a ampliação e o fortalecimento das relações entre a iniciativa privada e o Estado. Conforme noticia Felipe Montoro Jens, o programa objetiva priorizar e acompanhar de forma mais próxima os projetos que serão realizados a partir de Parcerias Público-Privadas (PPP), Privatizações e Concessões.

De forma complementar, o PPI busca não apenas a melhoria da qualidade dos serviços de infraestrutura prestados, mas visa também a criação de empregos e desenvolvimento econômico do país. A abertura do encontro ficou sob a responsabilidade do presidente Michel Temer, que informou que os 55 novos projetos injetarão na economia nacional cerca de R$ 45 bilhões. Além disso, os investimentos nas áreas de transporte, energia e saneamento básico possibilitarão a criação de aproximadamente 200 mil novos empregos diretos e indiretos. De acordo com as palavras de Temer “Precisamos fazer logo isso, porque o que mais almejamos é exatamente o combate ao desemprego no País”, relata Felipe Montoro Jens.

Presente na reunião, o Ministério de Minas e Energia apresentou propostas de licitação para 35 lotes de linhas de transmissão de energia, espalhados por 17 estados da federação e que demandarão investimentos da ordem de R$ 12,8 bilhões – conforme noticia o especialista em Projetos de Infraestrutura, Felipe Montoro Jens. Em paralelo, a pasta de Transportes apresentou projetos para concessões em portos, ferrovias e rodovias.

O primeiro conjunto de concessões, que foi apresentado em setembro de 2016, contava com 35 projetos, que também envolviam saneamento, energia e infraestrutura dos transportes – além de petróleo e gás e mineração. Segundo o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, três contratos já foram assinados nesta primeira leva de concessões: um referente à privatização da CELG e dois para a prorrogação de terminais portuários.

A desestatização da CELG Distribuição foi a primeira privatização realizada pelo PPI. Ainda em março deste ano, foram a leilão os aeroportos de Florianópolis, Fortaleza, Porto Alegre e Salvador. Os vencedores desses leilões foram todos grupos estrangeiros: Fraport (Alemanha), Vinci (França) e Zurich (Suíça). Ainda em março, dois terminais do Porto de Santarém, no Pará, também foram leiloados, sendo que o Consórcio Porto Santarém ganhou a disputa. Já no mês de abril, o terminal de Trigo do Rio de Janeiro foi à licitação. Quem venceu o certame foi o Consórcio Maravilha, formado pela M. Dias Branco e Bunge Alimentos.

O Programa de Parcerias de Investimentos, que também deve motivar empreendedores que pretendem investir no Brasil, surge como mais uma aposta do governo federal para alavancar os investimentos no setor estrutural do país e prosseguir com a retomada de crescimento da economia neste momento de crise econômica, reporta o especialista em projetos de infraestrutura, Felipe Montoro Jens.