Escritório de advocacia de Ricardo Tosto e sócios completa vinte e cinco anos

O escritório de Advocacia Leite, Tosto e Barros Advogados Associados completa 25 anos de funcionamento, e seus proprietários e sócios-fundadores os renomados advogados Ricardo Tosto, e Zenon de Paula Barros, comemoram o período de companheirismo, fraternidade e amizade, sentimentos que levaram a empreitada tão longe.

Para o sócio Ricardo Tosto, a chave para a vitória na vida jurídica são as relações frutíferas entre advogados, clientes, o mundo empresarial composto de diretores e executivos.

Ricardo Tosto é advogado, formado em Direito pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, uma das maiores instituições de ensino superior privadas do Brasil e da América Latina, possuindo também curso de extensão em Administração de empresas, diplomado pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP) conhecimento amplamente por ele utilizado nos casos em que atua, nas áreas em que advoga. Passou pela Diretoria Jurídica e Recursos Humanos do Grupo Rede (Caiuá Serviços de Eletricidade, em que ocupou o cargo de assessor, atuou na Empresa Elétrica Bragantina, também na Empresa de Eletricidade Vale Paranapanema, na Companhia Nacional de Energia Elétrica (CNEE) e foi diretor da Fundação Rede de Previdência Privada. Presidiu a Comissão de Modernização do Judiciário e da Comissão de Reforma do Judiciário da Ordem dos Advogados do Brasil de São Paulo, faz parte do International Bar Association – IBA, integra o Conselho Diretor do Centro de Estudos das Sociedades de Advogados – CESA, está envolvido no Comitê Diretivo da Associação Alumni IMD (Institute for Management Development – Lausanne – Suíça) em seu birô no Brasil, é membro do Conselho Consultivo da editora Revista dos Tribunais, ajudou a fundar o Instituto Brasileiro de Estudos de Direito Eleitoral e Partidário – Ibedep e escreveu, juntamente com o colega de advocacia Paulo Guilherme M. Lopes, o livro “O processo de Tiradentes” (Editora Outras Palavras), sobre o qual deu entrevista ao comediante, jornalista e escritor Best-Seller Jô Soares no programa deste, em 2007, ano de lançamento da obra.

O escritório tem como parceiros internacionais Strasburger & Price, dos Estados Unidos (EUA) e Forastieri Abogados (México), em que atua de forma colaborativa para aprimorar os serviços que dispõem e conseguirem indicações para seus clientes.

Ricardo Tosto tem 53 anos, e comanda seu empreendimento no qual estagiários do passado, por ele formados, hoje são seus sócios. Teve importante atuação na criação de leis econômicas para o Brasil, e em alguns casos inovou ao utilizar práticas legais hoje em voga entre deus inúmeros pares.

O escritório de advocacia Leite, Tosto e Barros possui ampla rede de atuação, cobrindo áreas do Direito referentes às agências reguladoras, do Direito administrativo, do Direito ambiental, dos Direitos autorais para escritores e artistas, Direitos relativos à propriedade privada, propriedade intelectual e Direito Cibernético. Atuam também com excelência no Direito bancário, Direito civil, Direito comercial (cujo trabalho neste campo deu as maiores premiações ao escritório e alça sua fama internacionalmente), Direito do consumidor, Direitos trabalhistas, Direito econômico e concorrencial (outra marca forte do escritório de Ricardo Tosto), Direito eleitoral e partidário (em que trabalharam para diversas agremiações, muitas de correntes ideológicas opostas), entre um sem número de outras atribuições.

 

Podendo pagar ate R$ 11 milhões, sorteio da Mega-Sena acontece neste sábado

O sorteio da Mega-Sena, a maior entres as dez modalidades lotéricas de aposta existentes no país, já premiou mais de 200 jogadores, e tem seu próximo sorteio marcado para este sábado, dia 14. O concurso que é promovido pela Caixa Econômica Federal possui potencial para premiar com milhões de reais o apostador que acertar a sena. Os números que podem ser sorteados pelo menos duas vezes na semana, se tornaram tradição entre a população, e a esperança de acerta-los alimenta o sonho de muita gente que acredita na sorte.

Em sua edição de número 1984, o concurso terá suas dezenas sorteadas em Belém, a capital do Pará por volta das 20h segundo horário de Brasília, e já acumula 11 milhões de reais para quem tiver os seis acertos.

Como de costume, para participar do sorteio é preciso fazer a aposta mínima de 3,50 reais, em qualquer das treze mil lotéricas existentes no país. Vale lembrar que clientes da Caixa podem participar do sorteio através da internet, com o sistema Internet Banking Caixa. Porém, mesmo possuindo horário de funcionamento fixado entre as 8 e 22 horas, nos dias em que os sorteios são feitos, as apostas terminam pelas 19 horas, e retornam apenas às 21 horas.

Tendo seu começo em março de 1996, em 1999 a Mega-Sena pagou sua primeira premiação no valor recorde de 64,9 milhões de reais a um jogador baiano. Já a maior premiação registrada, foi paga um apostador que teve direito a incrível quantia de R$205.329.753.54, no dia 25 de novembro de 2015.

Entre as formas de se jogar estão a que o apostador escolhe os próprios números, ou então através da modalidade “Surpresinha” que deixa com o sistema a responsabilidade de escolher os números aleatoriamente. Outra maneira de jogar que também é bastante conhecida e “caiu nas graças” do povo é a “Teimosinha”. Nela o jogador pode utilizar os mesmos números selecionados por até 8 edições seguidas.

Os vencedores possuem até 90 dias para reivindicar seus prêmios. Basta apresentar o bilhete correspondente em agências da Caixa Econômica Federal ou casas lotéricas de todo o pais. Mas vale lembrar que caso o prêmio seja de até R$ 1.787,77, a apresentação do bilhete deve ser feita em lotéricas, para valores maiores que isso, apenas as agências da Caixa Econômica Federal devem ser procuradas. Caso o período dos 90 dias termine sem que haja a apresentação formal de um vencedor, o dinheiro referente ao prêmio será acrescido ao Tesouro Nacional, e posteriormente devera ser aplicado na realização de projetos na área da educação.

 

 

Grande asteroide passa próximo da Terra quase que despercebido

No último dia nove de janeiro, uma segunda-feira, confirmou-se que os radares das agências espaciais não são capazes de identificar todos os movimentos feitos por objetos que se aproximam do nosso planeta. A afirmação é por conta de um asteroide que podia medir até 34 metros de comprimento e passou bem perto da Terra – mais ou menos a uma distância que equivale à metade do espaço que nos separa da Lua.

O que impressiona é que, de acordo com a companhia Slooh, que faz transmissões de eventos espaciais, ele só foi identificado no sábado anterior “à visita”, dia sete, por pesquisadores da Universidade do Arizona, nos Estados Unidos. A rocha, chamada de asteroide 2017 AG13, tinha o tamanho de um prédio de dez andares e viajava a uma velocidade equivalente a 16 quilômetros por segundo.

Conforme declarações de um pesquisador da Administração Nacional do Espaço e da Aeronáutica (Nasa), a Terra não está preparada para se defender de uma colisão com um asteroide que possua grande potencial destrutivo. É justamente por conta disso, que o fato de um asteroide, que seja potencialmente perigoso, passar tão perto da Terra e de forma despercebida, ou seja, sem que aja um aviso prévio, preocupa tanto os cientistas.

O governo americano possui e já até divulgou um documento oficial que faz determinações sobre uma série de estratégias para lidar com esse tipo de situação -tanto durante, quanto após o possível impacto com esses objetos próximos da Terra (NEO – uma sigla em inglês que refere-se a Near Earth Objects).

Felizmente, de acordo com os cientistas, o impacto do 2017 AG13 não seria tão devastador quanto parece – apesar do seu tamanho. Pesquisadores da Universidade de Purdue, nos Estados Unidos, criaram um simulador, chamado Impact Earth, que tem a capacidade de prever quais seriam as consequências no caso do asteroide ter colidido com o Terra. Segundo ele, se a colisão acontecesse a uma inclinação de 45 graus, o choque teria liberado uma quantidade de energia que seria dezenas de vezes maior do que a bomba atômica que explodiu no episódio de Hiroshima, no Japão. Contudo, o asteroide estaria a uma distância 16 quilômetros em relação ao solo, e isso diminuiria os efeitos do impacto, que seriam bem menores.

A Slooh disse que as consequências da colisão seriam parecidas com as observadas em 2013, na Rússia, quando a cidade de Chelyabinsk foi atingida por um asteroide de tamanho semelhante – entre elas, estão vidros quebrados e alguns prédios danificados.

Apesar do susto, a aproximação de asteroides como o 2017 AG13 não é um acontecimento que pode ser considerado incomum. Segundo dados do Near Earth Program, da Nasa, são esperados, só para o mês de janeiro, outros 38 objetos passando próximos ao nosso planeta.

Com alta tecnologia o Copa Star pretende atender casos complexos

Os pacientes de alta complexidade que precisavam de um atendimento de primeira ponta que antes faziam a ponte aérea Rio/São Paulo agora têm a opção de ficarem no Rio de Janeiro por causa do Copa Star. De acordo com o médico cardiologista e presidente do conselho da Rede D’Or São Luiz, Jorge Moll: “Não existia nenhum hospital como o Sírio e o Einstein aqui no Rio de Janeiro, neles são atendidos os pacientes de alta complexidade que precisavam fazer a ponte aérea”. A inauguração do Copa Star aconteceu em outubro de 2016 em uma localização nobre, o hospital está na Rua Figueiredo Magalhães, em Copacabana, no Rio de Janeiro.

 

A Rede D’Or São Luiz é o grupo responsável pelo Copa Star. Com um investimento de 400 milhões reais para a construção do hospital e mais 100 milhões de reais para os aparelhos de alta tecnologia, o complexo hospitalar tem como prioridade um excelente atendimento com seus recursos tecnológicos sem deixar para trás o toque acolhedor e humano que um hospital precisa ter. Procurando se distanciar dos tradicionais hospitais o Copa Star tem um ambiente que traz uma visão e uma experiência diferente que não está ligada a muitos outros complexos hospitalares. Em seu hall de entrada além da sofisticação um aroma de toques amadeirados com tons cítricos traz uma exclusividade para todos que frequentam o lugar. Pelos corredores será possível ver obras de arte de Yutaka Toyota, serão 231 obras de arte dentro do Copa Star dando um requinte jamais visto em nenhum hospital brasileiro.

 

Em termos de tecnologia o Copa Star tem equipamentos de ponta presentes à disposição de seus pacientes para uma maior comodidade. O hospital possui iPads nos quartos com um aplicativo exclusivo e colchões que se ajustam com o formato do corpo. Com o iPad o paciente terá a possiblidade de controlar a iluminação, a climatização, as cortinas e a cabeceira da cama, além disso funcionalidades de comunicação estarão disponíveis caso o paciente necessite chamar os médicos e os enfermeiros do complexo.

 

Uma novidade que faz a diferença é que existem salas híbridas em que o paciente no momento da cirurgia poderá ter a possibilidade de ser monitorado, e de que exames sejam realizados de acordo com a necessidade. Os corredores do hospital têm uma área separada para a circulação de macas e de enfermeiros que se diferem da família e dos visitantes.

 

Essa nova unidade da Rede D’Or tem como objetivo um atendimento de excelência no ramo da medicina e também disponibilizar uma estrutura para o paciente digna de um hotel 5 estrelas. E como um hospital não é feito apenas de infra-estrutura, uma equipe de profissionais composta por 550 pessoas fará parte do alto padrão de qualidade do lugar. Dentre os profissionais 113 são médicos com experiência e reconhecimento no ramo.

 

A forma de pagamento para o atendimento não está restrita apenas a dinheiro, o hospital terá diferentes meios para pagamento e também receberá planos de saúde que tenham uma cobertura equivalente aos serviços prestados na unidade.

 

O berço dos massacres: Conheça as condições a que os presos estão sujeitos no Brasil

O ano começou marcado por rebeliões que causaram 99 mortes nas prisões brasileiras, deixando alguns corpos irreconhecíveis devido às mutilações que sofreram. Enquanto o governo é acusado de omissão por grupos humanitários, o presidente Michel Temer anuncia que vai construir 5 presídios de segurança máxima em cada uma das regiões do país, além de outras 25 prisões estaduais. Mas o aumento no número de vagas seria realmente a solução para o problema?

 

Especialistas acreditam que não. Ainda que uma parte considerável dos homicídios possa ser atribuído à guerra pelo controle do tráfico travada entre o PCC e o Comando Vermelho (aliado da Família do Norte), as rebeliões só puderam ocorrer devido a uma miscelânea de fatores a que estão expostos os presos no Brasil. A superlotação seria apenas um dos problemas e ele não poderá ser corrigido pela abertura de novas vagas.

 

Superlotação

 

No Brasil, existem 622 mil pessoas em condição de encarceramento, ainda que existam apenas 371 mil vagas disponíveis. Com isso, seriam necessárias abrir 251 mil vagas para suprir a carência do sistema penitenciário. A proposta do presidente é de abrir 21 mil vagas.

 

Com um gasto previsto de 900 milhões de reais, Temer teria esquecido mais de 90% do problema para trás.

 

O Brasil possui a quarta maior população carcerária do mundo. 3 a cada 10 presos ainda esperam para ser julgados. Em vista desses dados, especialistas acreditam que devem ser estabelecidas penas menores para certos casos e que os detidos devem ser julgados mais rapidamente.

 

Condições insalubres

 

Não é novidade que os presos estão sujeitos a péssimas condições de vida. Além de muitos não poderem tomar sol por mais do que alguns poucos minutos por dia, existem relatos que descrevem ser impossível alimentar-se da comida servida nessas instituições. Nesses casos, as famílias devem ajudar ou os encarcerados estarão fadados ao adoecimento.

 

Mas não é só isso. Devido à superlotação e aos diversos tipos de violência a que estão sujeitos, as pessoas que vivem atrás das grades apresentam 30 vezes mais chance de contrair tuberculose e quase 10 vezes mais chance de adquirir HIV do que o restante da população. Por estarem fechados e abandonados, basta que um detento tenha uma doença para que os demais sejam contaminados.

 

Abandono da sociedade e reincidência

 

Não é preciso procurar muito nas redes sociais para encontrar alguma mensagem de ódio contra os presidiários. Em algumas delas, as pessoas demonstram o seu desejo de que todos os bandidos sejam mortos. Alguns políticos do Brasil chegaram ao poder sem qualquer proposta viável, mas simplesmente porque compartilhavam desse ódio.

 

Em vista desse contexto cultural, os presos são enquadrados em uma justiça punitiva-retributiva. Diferentemente da justiça restaurativa, que visa dar meios aos encarcerados de voltarem à sociedade, a justiça do país é uma forma de vingança e dificulta de todas as formas possíveis o restabelecimento do criminoso. Quando são libertados, as pessoas não oferecerem empregos para eles, sendo que 70% volta a cometer crimes.

 

Fontes:

 

 http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2017-01-09/sistema-penitenciario-brasil.html>

 

http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2017/01/09/apos-a-morte-de-99-presos-temer-diz-que-e-necessario-construir-novos-presidios.htm>

Imposto de Renda 2017 tem cronograma divulgado

Para que os contribuintes possam fazer a declaração de Imposto de Renda a tempo de evitar imprevistos, a Receita Federal já anunciou o cronograma de 2017. De acordo com o Correio Braziliense, a entrega pode ser feita a partir de 2 de março, com prazo máximo para 28 de abril. Quem atrasar pagará multa. A partir de 20 de janeiro, programas auxiliares como Ganho de Capital, Rascunho da Declaração e Carnê Leão podem ser baixados no site da Receita. Em 23 de fevereiro será liberado o acesso ao programa que gera a declaração online.

 

Até o momento, ainda não foi divulgada a tabela do IR, que informa as faixas de renda e alíquota de tributação, limite de isenção, abatimentos por despesas de saúde e educação e outros tipos de deduções. Na vigência anterior, pessoas com renda acima de R$ 28.123,91 durante 2015 precisaram apresentar a Declaração de Imposto de Renda.

 

Mesmo sem saber o valor deste ano, os especialistas recomendam que os contribuintes estejam com as documentações necessárias disponíveis, sem deixar tudo para o último momento. É preciso solicitar os informes de rendimentos em instituições financeiras onde haja recursos aplicados, além da empresa em que o contribuinte trabalha. Em caso de rescisão, devem ser apresentados documentos com dados como salário, FGTS, férias e 13º salário.

 

Quem realizou transações como compra de carro ou imóveis deve declarar, utilizando os documentos referentes, como escrituras ou documentos de compra e venda. A cópia da declaração de 2016 é muito útil para a geração da nova apresentação.

 

Gastos como despesas médicas, pagamento de pensões e custos escolares permitem o abatimento do imposto, portanto é preciso coletar comprovantes, como o CNPJ de empresas de saúde, como convênios médicos e clínicas de exames, além de carnês de pagamento de mensalidades. Para não cair na malha fina, o preenchimento dos dados deve ser feito conforme os códigos específicos. Um exemplo é o caso de pensão alimentícia, dedutível para quem paga e tributável para quem recebe. As duas pessoas têm necessidade de declarar os valores.

 

A Receita Federal consegue cruzar as informações, como transações patrimoniais e até mesmo o saldo bancário. Para evitar falhas no preenchimento, muitos optam pela contratação do serviço de contabilidade, embora a declaração possa ser preenchida pelo contribuinte. Com a maior procura por contadores no período, este é mais um motivo para se adiantar no processo e ter tempo hábil para realizar a declaração no prazo.

 

Duda Melzer, o empreendedor apaixonado por gestão humana

Presidente e chairman do Grupo RBS, Eduardo Sirotsky Melzer mais conhecido como Duda Melzer, tornou-se personagem de destaque no mundo dos negócios, um dos mais promissores e bem sucedidos empresários do Brasil na área de comunicação (TV e rádio), neto de Maurício Sirotsky Sobrinho, fundador do Grupo RBS, mantém o espirito empreendedor da família (membro da terceira geração da família proprietária da empresa) e aposta na valorização do ambiente de trabalho e qualidade de vida dos funcionários como fator decisivo para seu sucesso profissional e pessoal.

Formou-se em Administração de Empresas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) aos 26 anos, hoje com 44 anos, possui Mestrado em Administração de Negócios e MBA pela Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, além de dois cursos executivos nesta mesma instituição, também é conselheiro da Bienal do Mercosul, fundador e chairman da e.Bricks Digital, empresa da RBS que investe no desenvolvimento de negócios no setor digital e atua no Brasil e nos Estados Unidos.

Duda Melzer iniciou sua carreira nos Estados Unidos como Analista Financeiro Sênior da Delphi Corporation, em 2002, já em 2004 tornou-se Diretor-Geral da empresa de mídia BoxTop Media, neste mesmo ano ingressou no Grupo RBS como Diretor-Geral para o Mercado Nacional do Grupo, assumiu a presidência em 2012 e em 2015 chegou à presidência do Conselho de Administração da corporação, uma carreira em constante ascensão. Em 2015 foi eleito pelo Cambridge Institute for Family Enterprise um dos 25 empreendedores do mundo que lideram negócios considerados exemplos para a sociedade.

Para Duda Melzer disciplina e sustentabilidade são fundamentais para o crescimento de uma empresa, sempre focando na evolução e bem social do país. Considera seus colaboradores seu maior legado, sempre buscando maneiras de valorização pessoal, Duda Melzer ressalta que um bom gestor deve estimular e motivar seus funcionários a aprimorar suas habilidades, instiga-los a sempre procurar se desenvolver, um funcionário bem resolvido produz mais e com maior qualidade, um bom gestor deve saber identificar novos talentos e principalmente, agir como um líder e não com chefe.

Seu talento e notoriedade já lhe renderam diversos prêmios e nomeações, entre eles destacam-se:

2015: Empreendedor do Ano (Ernst e Young), na categoria Family Business

2015: Destaque na lista de líderes do Cambridge Institute for Family Enterprise (CFEG).

2015: Mérito em Administração, no setor Privado

2013: Empresário de Comunicação do Ano da Semana ARP de Comunicação

2011: Premiado pelo portal Coletiva.net, na categoria Gestão de Marketing/Comunicação/ Grupo de Comunicação

2009: Destaque Profissional da Associação Brasileira de Propaganda (ABP), na categoria Executivo de veículo

2006: Profissional de Veículo no prêmio Caboré

Atua em diversas entidades como:

2005 a 2008: Conselho Nacional de Auto-Regulamentação Publicitária (Conar)

2005 a 2007 / 2009 a 2013: Conselho Executivo das Normas-Padrão (CENP)

2015: Conselho da Bienal do Mercosul

2015: Conselho da Fundação Iberê Camargo

Além de desempenhar com excelência seu papel empreendedor Duda Melzer tem uma vida pessoal bem ativa, o empresário é apaixonado por esportes, em especial corrida, é casado e pai de três filhos.

 

Estado de alerta em SP – Fortes chuvas causam alagamento em vários pontos da capital

O Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da prefeitura, colocou toda a cidade em estado de atenção neste sábado (07/01/17) devido a fortes chuvas causadas pelo calor intenso na capital.

 

No total, foram registrados 8 pontos de alagamentos intransitáveis nas regiões de Pirituba, Freguesia do Ó e Penha. O Corpo de Bombeiros registrou 7 solicitações para remoção de árvores derrubadas pela chuva. O aeroporto de Congonhas, localizado na Zona Sul de São Paulo, operou normalmente.

 

A Zona Norte e a Zona Leste, foram as mais afetadas, chegando a ter córregos transbordados e avenidas interditadas.

 

Na Zona Norte, as avenidas Nossa Senhora do Ó, Zaki Narchi e Ordem e Progresso registraram pontos de alagamento.

Na Zona Leste, as Avenidas Água de Haia e São Miguel ficaram alagadas. Na Avenida Guarapiranga, extremo Sul da Cidade, os carros ficaram impedidos de trafegar.

A chuva, que atingiu a região metropolitana neste sábado, também alagou estações da CPTM. Trens da linha 1-Azul, 5-Lilás do metrô e 12-Safira da CPTM tiveram a velocidade reduzida.

 

Em decorrência das fortes chuvas, a Estação Jardim São Paulo – Ayrton Senna (Linha 1 – Azul do Metrô) precisou ser fechada após as 16:08, devido a uma enxurrada invadir o local. Um vídeo divulgado em redes sociais, mostra o momento em que as catracas, mezanino e áreas de bloqueio são tomadas pela água. Segundo informações divulgadas pelo Metrô, a estação foi reaberta as 18:50, sem o comprometimento das máquinas.

 

Além das chuvas fortes, o CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências) registrou quedas de granizo em alguns pontos da capital. Na Zona Norte, os principais bairros afetados foram Tremembé, Jaçanã, Tucuruvi, Vila Medeiros, Santana, Vila Guilherme, Casa Verde e Vila Maria. Na Zona Sul, observou-se quedas de granizo nos Bairros: Jardim Ângela, Capela do Socorro, Cidade Dutra e Pedreira.

 

Ainda de acordo com o CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências), as chuvas foram causadas pelo forte calor, alta disponibilidade de umidade reforçadas pelo fluxo de ar quente vindo do interior.

 

A previsão para essa semana continua com as características principais do verão: Calor intenso durante o dia e pancadas de chuva à tarde se prolongando para o início da noite. Atenção redobrada ao risco de descargas elétricas, principalmente em regiões descampadas. Segundo o CGE, a mínima deve ficar em torno de 21°C enquanto a máxima pode chegar até os 29° C. A umidade do ar fica em torno de 60% e 95%.

 

Fonte

“Super-Herói” da Crackolândia? Jovem aparece com sintomas da nova droga e “fala em línguas” em meio à multidão

Cada dia, as drogas se inventam e reinventam. O novo experimento em circulação é a droga denominada “sais de banho”, ou como alguns se referem a ela: Droga do super-herói.

A nova droga está em destaque por conta dos efeitos alucinógenos parecidos com as da cocaína, popularmente difundida por liberar uma substancia no cérebro conhecido como dopamina. Essa substancia, eleva a excitação neural, estimulando o sistema nervoso. A nova droga, conhecida também como Flakka, pode causar, assim como outras drogas, danos irreversíveis ao cérebro, e doses não tão altas já podem ser letais para o usuário.

Entre outros sintomas provocados pela droga do super-herói, estão: Aumento da atividade cerebral, força extraordinária, agressividade e devaneios. Uma dose de pouco mais de 0,1 grama pode resultar em overdose.

Dados os fatos, um garoto em Detroit – EUA, foi flagrado sob o uso da droga em questão. O vídeo foi parar nas redes sociais, e é nítido o efeito da droga no jovem jogado ao chão.

Ele pronuncia palavras difíceis de entender, muitas testemunhas chegaram a dizer que o menino falava em línguas, exposto ao frio de 0°C no chão de Detroit.

O garoto não foi identificado, permaneceu no chão, se contraindo em enquanto a droga fazia efeito e as testemunhas chamavam a ambulância. 15 minutos de espera e a ambulância não havia chegado.

 

Uma das testemunhas do caso comentou:

“O cara estava muito chapado de alguma droga. Isso é realmente tudo que eu sei. Depois ele estava bem e até conseguiu rir da situação”

Em Agosto de 2016, um garoto de 19 anos assassinou um casal após consumir a droga. Em uma agressividade extraordinária, o jovem devorou o rosto de uma das vítimas e depois foi preso, acusado de homicídio.

A droga circula com destaque desde 2014, porém foi proibido o consumo nos EUA. Seu preço também se torna convidativo aos usuários: Com 1.500 US$, é possível comprar até um quilo da droga do super-herói.

Infelizmente, casos como o do garoto homicida de 19 anos que assassinou um casal, mostram o quanto a droga pode ser prejudicial para os usuários. Além de danos cerebrais praticamente irreversíveis, esse tipo de droga sintética pode proporcionar muito mais que uma capa de super-herói: Pode dar asas para um céu de ilusões muito superior aos sonhos mais “altos”, porém, ao retornar, o inferno que vem a seguir pode ser um dos piores pesadelos, nas profundezas de um abismo eterno, que pode não ter mais volta.

 

Fonte

Último Tango em Paris

Uma polêmica envolvendo um dos filmes mais emblemáticos da década de 70, causou frisson em celebridades de Hollywood, como Jessica Chastain e Chris Evans. Os atores declararam no Twitter que jamais voltarão a ver o filme, nem considerarão Bertolucci ou Brando da mesma maneira, devido a polêmica entrevista do diretor sobre a cena icônica de sexo do filme, no qual a atriz Maria Scheider aparece sendo abusada sexualmente por Marlon Brando.
O assunto voltou aos holofotes após a publicação de um vídeo, pelo portal espanhol El Mundo, no qual o diretor Bernardo Bertolucci confessa a “estratégia de atuação” usada durante o filme no Dia Internacional contra a Violência de Gênero.
Maria Scheider morreu vítima de um câncer aos 58 anos em Paris, e viveu uma trajetória de drogas, depressão e tentativas de suicídio ao longo de sua vida. Ela tinha 19 anos quando rodou o longa com Brando, e ele 48.
Na entrevista, Bertolucci admite que Scheider “passou a odiá-lo depois da gravação do filme”. Ele diz que “gostaria de ver a reação dela como garota, e não como atriz”. Ele queria que ela se sentisse humilhada e que os gritos fossem reais.
No vídeo, o entrevistador pergunta se ele se arrepende de ter gravado a cena daquela maneira. Bertolucci responde: Não me arrependo, porém me sinto culpado. As vezes, para fazer um filme, para obter algo, acho que temos de ser completamente frios…Não queria Maria fingindo estar humilhada. Eu queria que ela sentisse essa humilhação…Por isso ela me odiou por toda a vida dela”.
Infelizmente, a atriz Maria Scheider jamais se recuperou emocionalmente.
Bernardo Bertolucci divulgou um comunicado nesta segunda-feira dizendo que tudo não passou de um mal entendido:
“Vários anos atrás, na Cinémathèque Française, alguém me pediu detalhes sobre a famosa cena da manteiga. Eu especifiquei, mas talvez não tenha sido claro, que eu tinha decidido com Marlon Brando não informar Maria que a gente usaria manteiga como lubrificante”, diz o comunicado. “Nós queríamos sua reação espontânea para esse uso impróprio (da manteiga). É disso que se trata o mal-entendido. Alguém pensou, ou pensa, que Maria não havia sido informada da violência contra ela. Isso é falso!”
Ele continuou: “Maria sabia de tudo porque ela havia lido o roteiro, onde estava tudo descrito. A única coisa nova que adicionamos foi a manteiga. E isso, como eu descobri muitos anos mais tarde, ofendeu Maria. Não a violência à qual ela foi submetida em cena, que estava escrita no roteiro.”
Maria Scheider, antes de morrer em 2007, afirmou que essa cena não estava no roteiro, e que foi forçada a fazê-la, razão pelo qual odiava tanto o diretor Bertolucci quanto o ator com quem contracenou Marlon Brando.

Fonte: http://bit.ly/2hhaLis