Déficit de atenção pode ter ligação com o tamanho do cérebro

Um novo estudo afirma que as pessoas com TDAH – Transtorno por Déficit de Atenção com Hiperatividade, possuem um cérebro menor que as outras pessoas, e que essa seria uma das razões para o problema. O estudo é atualmente o maior já realizado especialmente para estudar o cérebro das pessoas que são acometidas pela síndrome. Segundo os cientistas, foi possível observar não somente um tamanho levemente menor do cérebro, mas como também algumas diferenças na parte estrutural dos cérebros dos pacientes.

A Holandesa do Centro Médico da Universidade Radboud, Martine Hoogman, disse: “Os resultados de nosso estudo confirmam que as pessoas com TDAH têm diferenças na estrutura cerebral, o que sugere que o TDAH é um transtorno no cérebro”. A cientista afirmou que os resultados são visíveis, ou seja, são físicos. O TDAH, que muitas pessoas julgavam ser um problema de má conduta, na verdade está mais ligado com a parte física do cérebro. “Esperamos que isto ajude a reduzir o estigma de que o TDAH é ‘apenas um rótulo’ para crianças com dificuldades ou que é provocado por uma educação pobre”, afirmou Martine Hoogman.

Atualmente, o transtorno é visto como um rótulo para determinar que uma criança tem dificuldade em aprender e interagir com as pessoas. Sendo que na maioria das vezes é associado erroneamente a uma educação inferior dos pais ou do lugar onde a criança mora. O que não é verdade, pois a síndrome tem ligações físicas que jamais havia sido observadas antes.

Os resultados obtidos pelo estudo foram publicados na The Lancet Psychiatry – uma revista especializada em psiquiatria. O estudo contou com a ajuda de 1.713 participantes diagnosticados com o transtorno e 1.529 participantes sem o diagnóstico da doença.

Esse transtorno é na maioria das vezes observado e diagnosticado ainda na infância, porém existem casos de pessoas adultas com a síndrome. As pessoas que sofrem com o TDAH geralmente apresentam sintomas como dificuldade para se concentrar, hiperatividade e atitudes impulsivas. As causas que acometem o transtorno ainda são de grande dúvida entre os especialistas, sendo que a maioria ainda afirma que o TDAH não passa de um pretexto para poder utilizar medicamentos que controlam o temperamento e o comportamento das crianças mais agitadas.

Já o estudo gera um grande conflito, pois foi observado que as pessoas diagnosticadas com o TDAH possuíam um cérebro com estruturas diferentes das pessoas sem o diagnostico. Martine Hoogman, juntamente com sua equipe, analisaram ressonâncias magnéticas cedidas pelos participantes com idades entre 4 e 63 anos, com ou sem o diagnostico da síndrome. Além disso, eles mediram o volume total para determinar o tamanho do cérebro. As pessoas que possuíam o diagnostico apresentavam um volume menor que as pessoas sem o diagnostico.

Tratamento de diabetes sem remédio será a fonte de uma nova pesquisa da USP

Uma nova pesquisa que visa o tratamento de diabetes sem o uso de medicação será realizada pela FMRP/USP – Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Os estudiosos lançaram o convite para pessoas que portam o tipo 2 da doença, com idade entre 30 e 60 anos, para participarem voluntariamente da pesquisa. Para isso eles já deixam bem claro que o participante não poderá fazer uso da insulina e nem apresentar disfunções no metabolismo, tendo como base, o colesterol e os triglicérides acima de 200 mg/dL.

A equipe acadêmica quer estudar um novo método de tratamento da doença com o auxilio de uma dieta totalmente personalizada e restritiva. Rafael Ferraz, que é pesquisador do Departamento de Endocrinologia da FMRP/USP, disse sobre a pesquisa: “Nós vamos de encontro à indústria farmacêutica, que sempre entra com remédio. Nós não entramos com remédio”. O pesquisador aponta para a objetividade do tratamento com remédio em se tratando da movimentação de muito dinheiro por meio da indústria farmacêutica. Além do que é valido lembrar que a mesma indústria que vende o remédio, também vendo o veneno em forma de, gorduras trans, transgênicos, excesso de sódio e açúcar.

A professora Maria Cristina Foss-Freitas, ao lado do coordenador do estudo, Rafael Ferraz, desenvolveram uma espécie de protocolo alimentar especialmente para tratar a doença. O protocolo consiste na pouca ingestão de calorias, até que o metabolismo energético seja ativado sem que o paciente entre em estado de desnutrição.

Ferraz salientou: “A gente conseguiu achar uma fórmula matemática e transformá-la em alimento, em macronutrientes ideais para cada paciente e reverter a diabete”. O pesquisador se mostra totalmente entusiasmado com o protocolo criado por eles, e dá indícios de que o método funciona: “Dados preliminares de sete pacientes mostram que conseguimos controlar a diabete e a dislipidemia, além de reduzir os níveis de pressão a índices saudáveis.”

O acompanhamento dos pacientes é feito periodicamente pelos pesquisadores através de exames clínicos, bioquímicos e moleculares para saberem como o organismo está reagindo. O tratamento tem duração de apenas 27 dias, e já está sendo feito com alguns pacientes no Hospital das Clínicas da FMRP/USP, na cidade de Ribeirão. No entanto, ainda existem 33 vagas disponíveis para aqueles que querem experimentar a possibilidade de se livrar dos remédios além de colaborar com uma pesquisa que pode mudar o tratamento de diversas doenças.

Os interessados em se voluntariar podem enviar um e-mail para: [email protected]. É requerido que o voluntário envie resultados recentes de exames com os dados de glicose, colesterol e triglicérides para poder avaliar o estado do paciente e afirmar se ele pode participar da pesquisa. Se o voluntário se enquadrar com o protocolo necessário para a pesquisa, irá receber maiores informações pela equipe de pesquisadores para que possam prosseguir até o local do estudo.

 

Taxa de juros do cartão de credito bate novo recorde

Apesar da crise econômica estar de acordo com os economistas em retrocesso, e da inflação estar diminuindo, a taxa de juros do rotativo do cartão de crédito não parece seguir a mesma tendência. A taxa subiu mais uma vez este inicio de ano, e bateu novo recorde.

O Banco Central informou esta semana que a taxa chegou a 486,8% ao ano 2,2 percentual de aumento na tarifa em relação a dezembro do ano passado. Este é o maior aumento desde o inicio em 2011.

Para aqueles que não conseguem entender do que se trata o rotativo do cartão de credito, este é o credito que o consumidor faz uso toda vez que não paga o valor total de sua fatura mensal. De acordo com a analise a taxa do credito parcelado também sofreu aumento de 161,9% ao ano, a alta foi de aproximadamente 8.1 percentual em relação a dezembro.

Além disso, o Banco Central ainda informou sobre um aumento no cheque especial. Seu aumento foi de aproximadamente 328,3% ao ano.

Os atrasos com mais de 90 dias, também chamadas de inadimplência do credito para pessoas físicas ficou nos mesmos 6% do mês de dezembro.

Os dados cedidos são considerados de credito livre, ou seja, o banco tem autonomia para decidir o que será feito com o dinheiro que foi captado no mercado e como pretende definir as taxas de juros.

No caso dos empréstimos realizados pelo governo para moradia, para o setor rural ou de infraestrutura, também chamado de credito direcionado para pessoa física apresentou estabilidade, 10,4% ao ano. Porém, a taxa cobrada para pessoas jurídicas recebeu um leve aumento de 12,5% ao ano.

O Banco Central também informou que o saldo de todas as operações de credito executadas no ano passado contabilizam mais de 3 trilhões de reais.

O aumento histórico revela de acordo com especialistas em dividas que o brasileiro não esta sabendo lidar com o seu cartão de credito e tem mergulhado cada vez mais em dividas impagáveis. Especialistas orientam que de forma alguma é inteligente ficar pagando o mínimo da fatura todos os meses. Isso só vai continuar aumentando as taxas de juros da sua divida fazendo com que você fique muito mais tempo pagando a divida, rendendo muito mais dinheiro ao banco.

Analistas econômicos explicam que é necessário um planejamento para lidar com dividas de cartão de credito.

 

 

Sergio Cortes informa sobre a síndrome do impacto, que acontece nos ombros

A síndrome do impacto é considerada um dos problemas que mais acontecem nos ombros, sendo assim uma das causas mais frequentes de dores nessa articulação. Conhecida também como bursite, o termo popular pelo qual é referida pela população, a doença consiste na inflamação da bursa, um tecido que está presente em várias articulações, entre elas o ombro, noticia o ortopedista Sergio Cortes.

A bursa tem como principal função tornar mais fácil o deslizamento dos tendões conhecidos como manguito rotador, que se encontram abaixo do osso acrômio. O acrômio é um osso que podemos apalpar facilmente, pois se encontra ao lado da clavícula. O manguito rotador, por sua vez, consiste em um grupo de quatro músculos, que tem como papel essencial a movimentação do ombro. Sempre que levantamos o braço, esses tendões do manguito rotador precisam deslizar embaixo do acrômio, e a bursa está ali para tornar essa situação mais fácil.

Já a principal função do manguito rotador, é a de tornar estável o úmero na articulação do ombro. Desse modo, qualquer alteração que possa comprometer os grupos musculares do manguito, seja em razão de um trauma, mudanças degenerativas provocadas pelo envelhecimento ou, sobrecarga que esteja ou não relacionada a uma fadiga muscular, é capaz de desequilibrar esse sistema causas impactos negativos, informa Sergio Cortes.

No geral, a síndrome do impacto é dividida em três etapas de evolução:

Grau 1: É o momento inicial da doença, no qual existe uma lesão de caráter inflamatório agudo nos tendões do manguito, e deve ser tratada de modo conservador, levando-se em consideração que as lesões agudas são capazes de regredir com ou sem tratamento. A prevenção deve ser feita através do fortalecimento e alongamento muscular, acompanhados pela prática de exercícios, especialmente para aqueles que já praticam esporte.

Grau 2: Nesse grau de intensidade intermediária, já surgem algumas alterações degenerativas na região abaixo do acrômio e também no manguito rotador. Em grande parte dos casos, acontece com os pacientes acima de 40 anos e está relacionada com as atividades que demandam uma elevação frequente dos braços gerando um quadro de dor constante, que acontece até mesmo durante o repouso, reporta Sergio Cortes. O tratamento, em geral, é conservador, mas em alguns casos pode ser necessário recorrer a uma correção cirúrgica.

Grau 3: Se caracteriza pela ruptura do manguito rotador, em paralelo a todas as alterações já destacadas na fase 2. Esse tipo de lesão acontece mais facilmente em pessoas que possuem mais de 60 anos e o tratamento inicial tem como objetivo aliviar a dor, sendo preciso optar por uma intervenção cirúrgica, caso o tratamento conservador não tenha os resultados esperados, informa Sergio Cortes.

Em todos os estágios, o sintoma mais presente são as dores, que pode ou não vir acompanhada de uma diminuição das funções articulares. Essa dor acontece geralmente na região lateral do braço, apesar de não ser ali em que se encontra a lesão, noticia Sergio Cortes. Além disso, a intensidade das dores pode variar entre moderada e persistente, com a possibilidade de ocorrerem crises que devem ser tratadas com anti-inflamatórios.

 

Fonte

600 mecânicos são demitidos dos aeroportos

aeroporto

As companhias aéreas confirmaram este mês que estão reduzindo seus funcionários e começaram as medidas demitindo mais de 600 mecânicos particulares que trabalhavam nos aeroportos na manutenção das aeronaves. De acordo com os próprios aeroportos as atividades de manutenção têm sido realizadas por outros profissionais.

Os cortes de pessoal nas companhias aéreas brasileiras começaram desde o inicio do ano de 2016. Segundo o próprio Sindicato Nacional dos Aeroviários, cerca de 600 profissionais que trabalhavam nos aeroportos foram dispensados de suas atividades.

Com a falta de profissionais em algumas empresas aéreas os próprios pilotos participam da manutenção e vistoria das aeronaves.

Todas as companhias alegaram que de forma alguma a segurança dos passageiros e afetados com o corte de funcionários, e que alguns mecânicos ainda estão sendo mantidos nas pistas de pouso e decolagem para inspeção e vistoria realizadas nos aviões.

Os aeroportos afirmam que o procedimento padrão na pista inclui uma vistoria completa de cada aeronave que pousa na pista bem como uma manutenção se realmente necessária. Só depois que estes procedimentos são finalmente realizados a aeronave e liberada para operação.

Durante a última semana de fevereiro ocorreram dois incidentes com aeronaves na Grande São Paulo. O avião da empresa Latam aparentemente mostrou defeito em uma de suas turbinas durante sua funcionalidade no aeroporto de Congonhas. E no dia seguinte uma aeronave da empresa Avianca fez um retorno ao aeroporto de saída, Cumbica em Guarulhos, Zona leste de São Paulo, depois que uma fumaça surgiu na cabine do piloto.

O Cadastro de Empregados e Desempregados (Caged) confirmou no final da semana que o numero de operários do Sindicato dos Aeroviários em atividade nos aeroportos realmente diminuiu.

Acontece que a retirada dos profissionais começou uma discussão entre a Anac e as companhias aéreas. A Anac acredita que esta operação não deveria ser realizada por pilotos ou por funcionários terceirizados. Primeiro porque nenhum deles possui qualquer formação técnica.

O diretor do sindicato José Ivânio Gonçalo da Silva que também faz parte da Associação Brasileira dos Mecânicos de Manutenção alega que atividade deve ser exercida apenas por profissionais capacitados que realizam suas funções diariamente e tem total conhecimento do aeroporto. É impossível que pilotos ou funcionários terceirizados consigam lidar perfeitamente com aviões de grande porte.

Além disto, os mecânicos ainda exerciam uma função chamada de “walk around” que consiste na analise do corpo da aeronave. Este procedimento é necessário para prever defeitos que não são apresentados nem mesmo nos manuais, é uma questão de experiência.

 

 

Sky corta todos os canais da Fox

Desde o primeiro domingo do mês dia 5 de fevereiro, todos os canais pertencentes ao Grupo Fox foram cortados da distribuição da empresa de TV por assinatura Sky. Decisão da empresa causou uma onda de reclamações.

A maioria dos clientes afirmam que nem se quer foram avisados sobre a novidade. Um dos clientes disse que só descobriu que a empresa não iria mais transmitir o sinal porque um dos narradores de futebol da Fox Sport avisou os telespectadores ao vivo durante uma partida.

De acordo com a própria Sky que começou a responder as reclamações dos clientes depois que uma serie de indagações foram realizadas no site voltado para os direitos do consumidor, Reclame Aqui, as negociações com o grupo Fox ainda estão em andamento, mas que tiveram que parar com a transmissão dos canais porque nenhum novo contrato foi assinado entre a Sky e a Fox.

Na maioria das reclamações as pessoas pedem desconto, já que estão pagando 260 reais por m pacote que teve seu número de canais reduzidos.

O CEO do site Reclame Aqui Maurício Vargas afirma que mesmo que não exista um desconto, os clientes que entraram em contato com a empresa via o site esperam alguma contrapartida, ou pelo menos alguma solução temporária que favoreça o lado do cliente.

Para a maioria dos clientes a Sky respondeu apenas que faria uma explicação esclarecida da situação via telefone.

Até o momento a Sky decidiu substituir os canais por outros pertencentes a pacotes diferentes, isso para quem possui o pacote mais barato de 260 reais. Os canais Fox Sport, Sport 2, Fox e FX foram substituídos pelo Netgeo, ESPN, ESPN+, Discovery turbo e Discovery Civilization. A solução não resolve o problema de quem assina todos os canais oferecidos pela empresa.

A Agência Nacional de telecomunicações (Anatel) disse em nota que a empresa deveria ter avisado os seus clientes sobre os cortes pelo menos 30 dias antes. A Anatel também afirma que cada cliente prejudicado deveria ter direito a um desconto promocional até que a situação seja regularizada.

Rafael Zanata pesquisador do Instituto brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), afirmou esta semana que a solução fornecida pela Sky só deixa seus clientes insatisfeitos, e que os consumidores que se sentirem lesados devem procurar o Procom municipal.

 

 

 

A Renault e as campanhas do publicitário Alexandre Gama, uma combinatória de sucesso

Nada como conceber uma campanha publicitária criativa e envolvente para o público correr às lojas atrás do produto. E quando as peças publicitárias são protagonizadas por celebridades queridas, os resultados de impacto são surpreendentes.

A Renault, sob a direção geral de criação do publicitário Alexandre Gama da agência Neogama, vem fazendo sucesso com a campanha “Girou, Pegou, Ganhou”, que consiste num convite tentador: o cliente se dirige a uma das concessionárias Renault, recebe a chave de um veículo cujos modelos estão expostos na loja. Caso a chave corresponda a um dos veículos, é ligá-lo e ganhar o carro.

Uma campanha inteligente, porque além de despertar o interesse em arriscar a sorte, movimenta a circulação de curiosos nas lojas e cria uma atmosfera lúdica à vivência da campanha. E nada mal para que tiver a sorte de ganhar uma picape Duster Oroch Renault zero quilômetro.

Recentemente a campanha teve a apresentadora Xuxa como artista convidada para protagonizar a peça publicitária e atrair a atenção do público.

Mas as chances não param por aí. Caso não tenha a sorte de conseguir ligar o carro, o cliente ainda pode participar da promoção através de sorteio.

Efetivamente, as campanhas da Renault, produzidas pela agência do publicitário Alexandre Gama, vem afirmando seu sucesso desde o ano passado, quando contou com o Wesley Safadão, cantando o seu hit “Aquele 1%”, chegando a mobilizar algo em torno de 35 mil pessoas às voltas nas concessionárias Renault e no site de ofertas os acessos ultrapassaram a casa de 1 milhão.

Para 2017, a ação tem como título “Novos motivos para se ter um Renault” e a brilhante ideia de promover as vantagens da nova geração de motores 1.0 e 1.6 SCe que compõem os novos modelos da marca.

Para isto, a Negogama de Alexandre Gama sofisticou na concepção da campanha, cuja produção conta com enorme cenário, carros movimentando-se em performances, design arrojado e cores que qualquer um associa de imediato à Renault. O protagonista da vez? Ninguém menos que o ator Bruno Gagliasso.

Nesta campanha em do publicitário Alexandre Gama e equipe, a Renault conta com filmes veiculados pela TV aberta e pela mídia digital, além de peças para a mídia impressa e PDV.

A tônica é exibir os novos motores SCe, que contam com propulsores com tecnologia stop&start, já avaliados como mais potentes em até 10% e 21% mais econômicos, além da capacidade de alcançarem 14km por litro em circuitos pelos centros urbanos.

As ofertas de Taxa Zero e parcelas cabíveis no bolso do consumidor são outro atrativo para vendas, além de outras facilidades.

Oferecer produtos de qualidade, que sejam soluções inteligentes às necessidades do consumidor e lhe despertem o desejo de consumo, isto é o objetivo de toda empresa séria. Despertar o desejo do consumidor obter o produto, convencido de que encontrou a solução procurada, é a razão de ser de uma agência de publicidade criativa.

Os resultados obtidos com as campanhas concebidas pela Neogama vêm provando que os objetivos da Renault e as experiências do publicitário Alexandre Gama são uma combinatória acertada para o sucesso.

 

Encontrado no Acre círculos parecidos com Stonehenge

 

Círculos similares Stonehenge no Acre
Círculos similares Stonehenge no Acre

Cientistas britânicos e brasileiros noticiaram este mês que encontraram na floresta Amazônica geólogos parecidos com a formação rochosa de Wiltshire na Inglaterra, mais conhecida como Stonehenge.

O Stonehenge é uma formação de pedras datada de 3 mil anos a.C. Apesar de já terem sido feitos vários estudos históricos a respeito da cultura e do povo que viveu naquele lugar, sua utilidade pratica nunca foi desvendada.

De acordo com os cientistas esses desenhos feitos no solo foram criados a muito tempo atrás e só foram descobertos agora porque recentes desmatamentos possibilitaram que as formações fossem vistas de cima.

Os 450 desenhos geológicos encontrados foram publicados na revista cientifica Prooceeding. Os cientistas noticiaram que acreditam que os círculos eram usados pelos povos antigos para reuniões públicas ou ritualísticas.

Outra importante conclusão feita pelos cientistas e que ao contrário do que se imaginava, aquele local não possuía uma mata virgem jamais explorada. Para que tais círculos geológicos fossem desenhados no solo, as sociedades antigas também precisariam desmatar uma boa parte do local. O que significa que a ação do homem sobre a floresta Amazônica é mais antiga do que se imaginava.

A publicação feita pelos cientistas foi realizada da forma mais cuidadosa possível, já que os mesmos não querem que suas recentes descobertas sejam usadas para justificar mais desmatamentos na região.

O Stonehenge é 2500 anos mais velho que as formações encontradas na Amazônia. Porem provavelmente são do mesmo período de desenvolvimento social, e talvez por isso compartilhem semelhanças em sua formação.

Em 2015 arqueólogos já haviam encontrado formações parecidas com essas. Alguns vales de 10 metros de largura por 22 metros de profundidade feitos normalmente no formato de um quadrado ou círculo foram encontrados em terras também recém desmatadas. Acredita-se que eles foram feitos pelos índios Aruaques a mais ou menos 1000 anos atrás.

Depois de várias descobertas arqueológicas na Amazônia hoje em dia um projeto que une pesquisadores brasileiros e finlandeses tenta desvendar os hábitos dos povos indígenas que viveram naquele local.

Stonehenge
Stonehenge

Os pesquisadores afirmam terem encontrado perto do local restos de panelas e outros artefatos feitos de cerâmica bem mais elaborados. Com o estudo da vegetação e do solo os pesquisadores também vão poder revelar o que esses índios comiam e plantavam.

A maioria das descobertas ficam em áreas privadas de pastagem ou plantação de cana, não existe um sitio preparado para receber visitações e a preservação das descobertas é bem complicada já que a criação de uma estrutura no local precisa de patrocínio.

 

Fósseis de lontra gigante são encontrados na China

Uma publicação do Journal of Systematic Palaeontology, informou que cientistas descobriram curiosos fósseis do que seria uma lontra gigante. A descoberta foi feita na China, sendo nomeada de Siamogale melilutra, a lontra, segundo os cientistas, tem idade aproximada de 6,2 milhões de anos. Foi considerada a maior, dentre muitas criaturas já encontradas, a Siamogale melilutra tem dois metros de comprimento e pesa cerca de 50 Kg, um tamanho equivalente a um lobo, o que é muito incomum para animais desse tipo.

 

O estudo ainda declarou que os fósseis estavam bem conservados, em especial a mandíbula e o crânio que foram encontrados ainda completos, algo extremamente importante para poder compreender a evolução da espécie, pois nenhum outro fóssil foi encontrado em tão bom estado para esse estudo. Os fósseis são de um animal que pertenceu a uma linhagem de lontras já extinta, que a ciência já tinha conhecimento através de alguns fósseis de dentes que foram encontrados na Tailândia. No entanto, a nova descoberta irá permitir conhecer mais sobre esse animal primitivo, saber algumas características como, evolução, morfologia e taxonomia dessa extinta espécie.

 

Foi preciso realizar uma tomografia computadorizada e reconstruir o fóssil do crânio no computador, pois o crânio apresentada um achatamento que teria sido ocasionado pelo processo de fossilização. Após uma analise, foi revelado que o animal apresentava características semelhantes a uma lontra, e também a um texugo. O animal tinha uma mandíbula forte, com a presença de grandes dentes molares, o que sugere que o animal teve que se adaptar e passar a se alimentar de moluscos e crustáceos presentes em água doce.

 

Também foi possível identificar que o animal vivia em certas regiões pantanosas, onde tinha uma vegetação densa com uma ambientação úmida e quente. Outra criatura bem semelhante pode ter vivido no sudoeste da China, assim indica os fósseis encontrados no Sítio Paleontológico de Shuitangba, cerca de 1.400 quilômetros da Siamogale melilutra. Nesse sítio também foram encontrados fósseis de outros animais como, elefantes, antas, veados, rinocerontes, castores, cisnes, patos e um macaco pré-histórico.

 

Dentre as lontras atuais, nenhuma delas chegam perto da Siamogale melilutra. A maior que existe atualmente é a ariranha, uma lontra que habita a região do Pantanal e a Amazônia. Seu peso fica em torno de 32 Kg, e é duas vezes menor que os fósseis encontrados na China. A ariranha pode ainda não ser a maior da família, se o estudo for confirmado, assim como a confirmação também de outros fósseis que foram encontrados em algumas regiões do mundo, como os fósseis que foram encontrados em região africana, alegando ser de uma lontra gigante.

Crânio do fóssio da lontra gigante encontrada na China
Crânio do fóssio da lontra gigante encontrada na China

Veja também, fósseis com 125 milhões de anos que foram encontrados por um agricultor espanhol.

Grandiosidade da Rede D’Or refletida no luxo do Hospital Copa Star

Nos últimos anos, o Brasil vem apresentando um número crescente de investidores no ramo da saúde. Um dos pioneiros do empreendedorismo nessa área, o cardiologista Jorge Moll Filho, fundador da Rede D’Or São Luiz, vem demonstrando bastante destreza, competência e, principalmente, discrição ao conduzir a maior operadora independente de hospitais do país, na atualidade.

A Rede D’Or São Luiz surgiu em 1977 e, hoje em dia, é detentora de 27 hospitais espalhados entre os estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília e Pernambuco. Inicialmente, foi inaugurada a unidade Cardiolab do Grupo Labs e a partir de então, a rede cresceu e se expandiu cada dia mais em território brasileiro. Entre centros hospitalares e unidades de tratamento, a Rede D’Or São Luiz vem se destacando em relação ao alto nível de luxo e tecnologia utilizada em todos os procedimentos e, as novas aquisições do grupo são prova disso. O Hospital Copa Star, inaugurado em 2016, no bairro de Copacabana, zona sul do Rio de Janeiro, é um exemplo claro do alto investimento tecnológico propiciado pela Rede D’Or pois, é visivelmente diferenciado em comparação à outros centros hospitalares.

O Hospital Copa Star levou três anos para ser totalmente construído e, após sua inauguração, vem recebendo bastante elogios e críticas positivas por conta do atendimento qualificado, conforto e luxo que proporciona. A equipe do Hospital Copa Star foi treinada durante três meses e foi submetida aos mais variados testes e simulações, além disso, os profissionais aprenderam técnicas de como abordar pacientes e de como se vestir adequadamente no seu ambiente de trabalho. A área interna do Hospital Copa Star conta com aproximadamente 21 mil m², sete andares e mais alguns aparatos que demonstram, explicitamente, a inovação tecnológica e requinte que a Rede D’Or São Luiz oferece.

Nos últimos 10 anos, o crescimento da Rede D’Or foi ainda mais avassalador se analisado de perto. Em 2010, já era o maior grupo de hospitais independentes do país (13 unidades), no ano seguinte, se lançou no mercado de São Paulo ao adquirir os Hospitais e Maternidade São Luiz. No ano de 2012, a expansão continuou e, em Brasília, a rede obteve o hospital Coração do Brasil. Em 2013, houveram algumas mudanças internas na Rede D’Or São Luiz e Jorge Moll contratou Heráclito Brito para tocar a empresa.

Para o futuro, a Rede D’Or busca, sem dúvidas, uma expansão ainda maior, visto que, a equipe planeja crescer em novas cidades. Nos últimos anos a Rede D’Or havia concentrado sua expansão na região paulistana, mas em 2015, a rede já negociava com o Hospital Aliança localizado em Salvador, na Bahia. Outro plano para o futuro seria o aumento da concorrência, já que, outros hospitais, voltados para alta renda, também estão em processo de expansão sem precedentes. Desse modo, a D’Or São Luiz possui algumas metas para os próximos anos que envolvem diversas áreas diferentes. O grupo tem como foco a expansão da rede mas também pretende, cada dia mais, buscar inovações, nos mais diversos ramos, para incorporar em todos os centros hospitalares já integrantes, naqueles (como o Hospital Copa Star) que foram inaugurados recentemente, e nos que futuramente surgirão ou serão adquiridos.