2017 foi um excelente ano para a produção agrícola brasileira segundo o governo

 

A agricultura brasileira teve um ano excepcional em 2017 com uma supersafra de 238 milhões de toneladas de grãos. Um acontecimento histórico de acordo com o Secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o Mapa, Neri Geller.

Para o secretário, a maior atribuição do resultado e a associação dos fatores positivos colaboraram para estabelecer o país como um dos maiores em agronegócio no mercado global. O Plano Agrícola e Pecuário disponibilizou as ferramentas necessárias para o produtor trabalhar com segurança e tranquilidade, segundo o secretário.

A mobilização de recursos no balanço da Política Agrícola de 2017, alcançou os R$ 188,3 bilhões em crédito rural, operações de plantio, custeio e comércio para a safra 2017/2018. Foram R$ 550 milhões para o Seguro Rural e para o apoio ao comércio da Política de Garantia de Preços Mínimos foram R$ 1,4 bilhão.

Os recursos de investimento em armazenagem também estão assegurados em R$ 1,6 bilhão. O Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural, o Pronamp, disponibilizou R$ 18 bilhões para o custeio e R$ 3,7 bilhões para investimentos de um total de R$ 21,7 bilhões de acordo com Geller.

Uma parte integrante da Política Agrícola no ano passado, foi a modernização da produção agrícola. Geller lembra que o programa de Inovação Tecnológica possibilitou uma linha de crédito para a conectividade no campo, que ajudou na melhora da gestão das propriedades rurais através do acesso a internet e a informação. O programa de financiamento de equipamentos agrícolas precisos dispõe de R$ 1,26 bilhão com um limite por produtor de R$ 1,1 milhão.

A Modernização da Frota de Tratores e Implementos Associados a Colheitadeiras também foi outro fator de destaque segundo Geller, que teve uma ampliação de 82% e contando com R$ 9,2 bilhões. Esse programa dispões o financiamento de até 90% de implementos e máquinas agrícolas com um prazo de pagamento de até 84 meses. O limite de custeio por produtor é de R$ 1,5 milhão e o prazo para pagamento dos produtores de grãos é de 14 meses.