Em 2018 a conta de energia pode custar R$ 18 bilhões ao bolso dos brasileiros

Os brasileiros irão gastar R$ 18,8 bilhões a mais com energia elétrica em 2018, segundo decisão da Agência Nacional de Energia Elétrica, a Aneel, nos valores com subsídio ao setor elétrico. Os valores terão como destino a Conta de Desenvolvimento Energético.

O choque das tarifas de energia será diferenciado para as regiões Norte e Nordeste, segundo a Aneel, pois lá o reajuste será de 0,77% na conta. Já para os moradores das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste os reajustes das tarifas chegarão a 2,72%.

As aplicações da Conta de Desenvolvimento Energético abrange também o subsídio da conta de energia de famílias de baixa renda, indenizações a empresa e combustível utilizado nas usinas termelétricas. As usinas termelétricas geram energia para o programa Luz para Todos da região Norte do país.

O programa Luz para Todos originado no final do ano de 2003 para acabar com falta de luz elétrica e levá-la o acesso gratuitamente a todos, e até 2008, levou chegou a 10 milhões de pessoas. A coordenação do programa era feita pelo ministro de Minas e Energia, com operação da Eletrobrás e executado pelas concessionárias de energia elétrica e cooperativas rurais em parceria com os governos estaduais.

No ano passado a Conta de Desenvolvimento Energético arrecadou 20% a menos que o esperado para o próximo ano, chegando a R$ 15,9 bilhões. Entre as previsões de aplicação no ano que vem estão os pagamento tarifários na distribuição de energia que chegarão aos R$ 6,9 bilhões.

O sistema isolado das termelétricas da região Norte ficarão com R$ 5,3 bilhões dos valores arrecadados. Os consumidores de baixa renda, as despesas com generalização do serviço de energia receberá R$ 2,4 bilhões e o programa Luz para Todos R$ 1,1 bilhão.

As usinas nucleares de Angra 1 e 2 terão reajuste de 74,4% na tarifa de 2018 segundo decisão da Aneel, que entrarão em vigor no dia 1º de janeiro. A tarifa das usinas que recebem a energia usinada passará de R$ 224,21 por megawatt-hora para R$ 240,80 por megawatt-hora. O montante médio de 2018 foi de 1.572 megawatt-hora. Os valores fixados para as usinas em 2018 foi para R$ 3,316 bilhões, sendo o valor anterior de R$ 3,087 bilhões.