Selfie tem as suas origens bem antes do que se pensava

A selfie é uma forma antiga de tirar fotos que hoje está disseminada nas redes sociais. Sendo um hábito atual, as fotos com esse estilo de formato vieram bem antes das redes sociais e das câmeras frontais dos smartphones, ainda que não fossem tão facilmente reproduzidas as selfies já existiam há anos.

Na Filadélfia, Estados Unidos, a primeira selfie que se tem registro teria sido tirada por Robert Cornelius quando tinha 30 anos. O cenário seria a sua loja de lâmpadas na Filadélfia. Na ocasião não era possível saber se a foto iria dar certo, o que é de se esperar, uma vez que a tecnologia naquela época não era tão avançada o que exigiu que Cornelius ficasse em pé pelo menos 15 minutos para tentar a foto.

No espelho as selfies também já davam o ar da graça na realeza, há cerca de 100 anos a filha da duquesa Anastásia Nikolaevna, filha mais jovem do czar Nicolau 2°, já tinha tirado a sua selfie quando tinha 13 anos, em 1914. Com a inexistência dos aplicativos de mensagem a garotinha escreveu uma carta para o seu pai dizendo: “Tirei de mim mesma me olhando no espelho. Foi bem difícil porque minhas mãos estavam trêmulas”.

Em Nova York, uma cena um tanto engraçada e inesperada é vista com os amigos do fotógrafo nova-iorquino Joseph Byron, que tirou com seus companheiros uma foto, mesmo ninguém sabendo exatamente onde a câmara estava, a selfie foi tirada em um terraço em 1920. Para conseguir tirar a foto foi necessário a ajuda de um amigo, na época a câmera era uma caixa pesada.

As celebridades foram entrar na onda da selfie em 1938, Frank Sinatra tem uma foto tirada de si mesmo na frente do espelho de um banheiro. Foi com seus 23 anos que a foto foi tirada, antes do cantor conseguir a fama que hoje tem.

Em 1966 o guitarrista dos Beatles, George Harrison, com sua câmera olho de peixe saiu pela Ásia registrando a si mesmo nos lugares turísticos em que passava em seu período de descanso.

Foi em 2002, que finalmente uma palavra foi criada para a atrativa foto de si mesmo, isso aconteceu na Austrália, país em que os falantes estão acostumados a diminuírem algumas palavras com a terminação “-ie”.