Afinal, o que é catapora?

Image result for catapora ilusta

A varicela, popularmente conhecida como catapora, é uma enfermidade infecciosa causada por um vírus chamado Varicela – Zóster. A enfermidade é extremamente contagiosa, mas costuma ser benigna. É uma das doenças mais corriqueiras durante a infância, mas com o a advento da vacina, o número de casos diminuiu de maneira estrondosa.

Ao adquirir o vírus, a pessoa está imune para o resto da vida. Porém, caso o vírus continue no organismo, ele pode provocar uma doença chamda herpes – zoster, que quando não cuidada pode causar graves complicações.

A catapora tem como principais sintomas a febre, normalmente entre 37,5° e 39,5°, mal – estar, dor de cabeça e cansaço. Com o avanço da enfermidade vão surgindo manchas avermelhadas, bolhas com líquido e crostas, que provocam muita coceira e irritação.

O contágio do vírus ocorre através do contato direto como a saliva, secreções respiratórias de pessoas infectadas ou o contato com o líquido das vesículas.

O período de incubação dura 15 dias e a recuperação total pode levar até 10 dias, até o desaparecimento dos sintomas e das manchas.

O tratamento foca no alívio dos sintomas e da coceira, e principalmente em evitar a contaminação das lesões por bactérias. É imprescindível evitar coçar as feridas, para minimizar o risco de infecções e a formação de cicatrizes.

A vacinação é indicada para crianças desde o primeiro ano de vida e para adolescentes e adultos com imunidade debilitada, que estão passando por tratamentos de quimioterapia e radioterapia.

As principais recomendações se resumem a vacinação precoce, principalmente nos primeiros anos de vida, já que a criança está mais vulnerável e propicia a adquirir vírus. Mesmo que a doença seja benigna, é imprescindível sua prevenção, pois os sintomas são desagradáveis.

É necessário evitar o contato direto com pessoas doentes, evitar coçar as lesões com muita força, não arrancar as crostas, pois elas protegem as feridas.

Prezar pelo repouso total, principalmente em períodos febris, ingerir alimentos leves e saudáveis, além da ingestão de líquido são essenciais para que o paciente melhore o quanto antes e de maneira total.

 

Pesquisa da um passo importante para entender melhor a esquizofrenia

Uma pesquisa realizada por cientistas na França foi pioneira na identificação do especifico lugar do cérebro responsável pelas alucinações auditivas que pessoas que sofrem de esquizofrenia “escutam”. Esse problema aflige mais de 69% dos esquizofrênicos.

No teste realizado com voluntários, Vinte e seis pessoas com essa doença receberam uma estimulação magnética transcraniana (EMT). É um método muito utilizado em pacientes com doenças psiquiátricas, que consiste em levar pulsos magnéticos dentro da cabeça. E outras trinta e três pessoas foram medicadas com um placebo.

A pesquisa durou 48 horas. Os voluntários foram expostos a esse tratamento duas vezes por dia nesse período, com foco especifico numa área cerebral no lobo temporal. Depois de 14 dias essas pessoas foram reavaliadas. Dentre os que foram tratados com EMT, um pouco mais de 1 terço das estimulações demonstraram efetividade. Dentre aqueles 33 que receberam o placebo, aproximadamente 10% tiveram algum tipo de sucesso relevante.

Uma professora de uma Universidade na França explicou como essas alucinações podem ser perturbadoras para os pacientes e para quem conviver com ele. Ela ressaltou que a grande importância desse estudo é encontrar a área anatômica no cérebro por onde as alucinações são evocadas. Mas ela disse que eles ainda possuem um longo caminho pela frente.

Um Neuropsiquiatra, Ricardo Oliveira, falou sobre o funcionamento dessas vozes em pessoas que sofrem de Esquizofrenia. Ele disse que essas pessoas possuem total certeza de que realmente estão ouvindo elas. E que na maioria das vezes não são agradáveis. Ele explica que é um erro achar que tais alucinações auditivas acontecessem no interior da cabeça da pessoa. Ele ressaltou que na realidade elas são externas, como se alguém realmente falasse com a pessoa.

Segundo o Ricardo Oliveira, atualmente o tratamento provoca danos colaterais, por causa do uso de medicamentes fortes como calmantes e sedativos. Por isso essa descoberta do uso do EMT é tão importante.

Ricardo Oliveira ressaltou que o EMT já é usado para combater a depressão e que seus efeitos são temporários nessa doença. Ele disse que a aplicação da estimulação magnética é cara e por isso nunca é usado como o tratamento principal. No momento que for usada para combater a esquizofrenia, ele não acredita que será suficiente para curar alguém das alucinações.

Campo Grande está completando 118 anos de muita história

O apelido de “Cidade Morena” foi dado a Campo Grande, devido ao seu solo avermelhado e pela sua temperatura quente. A cidade que está fazendo 118 anos, possui uma grande variedade de raças, que vão desde os nativos até os imigrantes europeus, orientais e árabes. Um dos pontos principais da cidade e um dos mais visitados é o  Horto Florestal,  que fica na junção dos córregos Prosa e Segredo.

As influências culturais da cidade apresentam características sertanejas, indígenas e as externas, que foram trazidas pelos imigrantes. Um exemplo é o prato típico da cidade, o sobá, que é uma deliciosa macarronada com pedaços de carne originárias do Japão, mais especificamente da Ilha de Okinawa. Os restaurantes especializados em sobá de Campo Grande, começaram com a chegada dos imigrantes japoneses em 1908. Atualmente, a comida japonesa é servida inclusive na Feira Central de Campo Grande.

A culinária excelente e exótica é feita com peixes nobres, como o dourado, o pacu e o pintado, acrescentando diversos temperos. A tradicional comida rural e indígena, também fazem parte desse variado cardápio encontrado nessa região. Outros pratos como o da influência das fronteiras da Bolívia e do Paraguai, também podem ser provados como a saltenha, a sopa paraguaia e a chipa.

A cerâmica, a tecelagem e a cestaria fazem parte do artesanato mais representativo da cidade, que conta também com as peças rústicas produzidas pelos índios Kadiwéu e Terena, que são cheios de adornos e fibras.

O Centro Administrativo do Estado fica ao lado do Parque das Nações Indígenas, que é o principal monumento em homenagem as diversas tribos da região.

Na Casa do Artesão, o visitante pode observar as réplicas da grande variedade de animais do Pantanal, com várias esculturas de bichos.

As avenidas de Campo Grande são largas e cheias de árvores, e levam o visitante em uma trajetória da história da cidade, desde o Carro de Boi, que foi uma homenagem aos fundadores, até o monumento do aviador. Um outro monumento foi feito em homenagem aos imigrantes, que celebra a chegada dos japoneses na cidade, no início do século passado.

Na região existem muitas estâncias e hotéis fazendas, onde o turismo rural é muito procurado, possibilitando os visitantes um contato direto com a natureza, através das

trilhas ecológicas, cachoeiras, cavalgadas e esportes radicais. O local ainda é rico em história regional, com a cultura dos peões e as diversas delícias caseiras do campo, que podem ser apreciadas pelos turistas.

JHSF: um exemplo de expansão plenamente adaptável aos mercados

Normalmente, quando um ou mais empreendedores visionários fundam uma empresa, o mais costumeiro é que eles planejem, a princípio, a conquista de um bom destaque em algum mercado específico, para então, com os anos, terem como expandir a marca, seja para ramos diferentes, seja com franquias espalhadas pelo Brasil ou até pelo mundo. O caso da JHSF Participações, que começou há várias décadas atrás, apesar de não ser tão diferente disso, apresenta a particularidade das grandiosas dimensões que tomou. É que, hoje em dia, sua atuação não se restringe mais ao setor da construção, como era originalmente, quando ainda era a JHS Construção e Planejamento Ltda., fundada em 1972, pelos irmãos Fábio e José Roberto Auriemo. Para se ter uma ideia de como foi grandiosa de fato a sua expansão, basta dividirmos a atual atuação da empresa em quatro setores bem amplos: incorporação imobiliária, shopping centers, gastronomia e hotelaria.

Porém, para que possamos tratar mais detalhadamente sobre a JHSF nos dias de hoje, deve ser então destacado aquela se entende como a área principal de atuação e investimento da JHSF: o segmento de alta renda. Dentro deste segmento, as atividades que mais lhes tem interessado são as de renda recorrente, incluindo-se aí, como já citado, a exploração de shopping centers, além, é claro, de vários hotéis e também de um aeroporto. Fora isso, vale citar por alto que a JHSF possui vários projetos imobiliários.

E como é de se esperar, a mudança de nome tem uma longa história por trás, sobre a qual podemos citar as partes de maior importância, começando pelos primórdios da empresa, ainda na década de 1970. Nessa época, os serviços prestados pela companhia tinham o foco na construção, e assim passaram-se os anos, até que, uma década depois, já nos anos 1980, ela firmou-se como uma das principais construtoras do país. Quanto a esse marco, é importante relembrar algumas de suas obras, a exemplo do complexo do Hotel Transamérica Ilha de Comandatuba, situado na Bahia, ou da pista de provas feita numa cidade do interior paulista, chamada Indaiatuba, para a General Motors. Fora essas grandes construções, não faltam obras envolvendo agências bancárias, que chegaram, inclusive, a ultrapassar mais de 1 mil. E sem contar uma de suas “especialidades”, o já citado segmento de shopping centers, seja construindo, seja ampliando vários deles, ao longo de todo o território brasileiro. Todavia, é importante salientar que foi só em 2001 que a empresa, modificando o seu foco de operações à época, criou a divisão de shoppings centers, construindo, logo em seguida o Shopping Metrô Santa Cruz, que foi o primeiro shopping do país a ter integração com uma estação de metrô. E não é leviano dizer que é essa a área de renda recorrente dela, sendo, inclusive, a partir do ano de 2015, a principal fonte de receitas da companhia inteira.

E foi assim, nesse ínterim, sempre realizando obras para a iniciativa privada, que, até então focada apenas em construções, a empresa que viria a se tornar a JHSF, enfim criou sua área de incorporações imobiliárias.

Terminou a década de 1980 e logo no ano de 1990 já houve uma cisão na empresa. Após o fato, a empresa passou a ter um único acionista, Fábio, e por isso que ela foi renomeada para JHSF, como é conhecida nos dias de hoje. Mas, várias mudanças ainda viriam nos próximos anos, sendo a primeira delas, já no final dos anos 1990, a mudança no foco da companhia, passando-se então à incorporação imobiliária e também o investimento em edifícios comerciais para locação, visto que tratava-se, àquela época, de um mercado em ascensão.

Os turistas podem visitar a Eslováquia e conhecer as suas cavernas

Image result for eslovaquia cavernas

Para aqueles que querem fazer uma viagem fora dos roteiros tradicionais europeus, a viagem pode começar aos pés das altas e esplêndidas  montanhas Tatras,  que estão localizadas na fronteira entre a Eslováquia e a Polônia. Os Cárpatos são a cordilheira que atravessa a Europa Central, com paisagens inesquecíveis, uma fauna maravilhosa e uma grande diversidade de vegetação. A parte mais alta dessa cordilheira fica praticamente toda na Eslováquia, sendo chamada de Tatras. A paisagem é muito parecida com a dos Alpes, sendo que é a menor cadeia de montanhas do mundo e representa um orgulho para o país.

É possível subir a montanha em um dos mais antigos bondinhos do planeta, chegando a 2.634 metros de altitude, no pico do Lomnicky, o segundo mais alto da Eslováquia.

No país também podem ser encontradas milhares de cavernas, sendo que quarenta delas são congeladas e apenas duas podem ser visitadas, sendo que a maior delas e a mais sensacional é a Dobsinska.

A caverna é um caso incomum da natureza, que fez uma caverna comum ficar cheia de gelo. Ela possui iluminação, ajudando dessa forma os visitantes, que podem apreciar toda a beleza desse planeta, que acabou parando na era do gelo.

Mas a mais visitada caverna do país, é a da Liberdade, sendo que o tempo transformou juntamente com a rocha e a água, os seus cenários fantásticos que ficam nas profundezas dessa caverna, possuindo um espetáculo de cores e formas.

Os visitantes além de visitarem essa caverna pela sua beleza, eles vão também para tratar da saúde. Aqueles que apresentam alguns problemas respiratórios, bronquite e asma, as cavernas possuem o ar de rocha calcária da Eslováquia, que é um medicamento natural. Esse tratamento se chama espeleoterapia, onde as pessoas que buscam tratar esses problemas, podem descansar e tirar uma soneca no escuro da caverna. A intenção é mesmo relaxar, e poder respirar de maneira profunda esse ar do interior da caverna, que segundo pesquisas é muito puro, não apresentando vírus, bactérias ou poeira. Ele também é úmido, frio e possui uma grande concentração de magnésio e cálcio, sendo essa uma mistura rica em propriedades anti-inflamatórias.

Estudo revela que pessoas inteligentes lidam com estereótipos de forma diferente

Há muita discussão na comunidade científica sobre o que é exatamente a inteligência. Podemos falar sobre QI. Essa é uma coisa que é absolutamente mensurável. Mas quando o assunto vai além disso, as coisas ficam nebulosas. De acordo com o Howard Gardner, da Universidade Harvard, existem inteligências múltiplas. Em um sentido elementar, uma das explicações mais antigas e abrangentes é a capacidade de reconhecer padrões.

O cérebro humano é realmente o sistema de reconhecimento de padrões mais complexo do mundo. Uma pesquisa anterior descobriu que aqueles que são habilidosos em perceber os padrões tendem a ganhar mais dinheiro, a ter melhor desempenho em seus empregos e a cuidar melhor de sua saúde. Além disso, a detecção avançada de padrões pode tornar mais fácil identificar as oportunidades e tornar as pessoas menos propensas a se identificar com a ideologia autoritária.

“Padrão de correspondência” nos ajuda a discernir os sentimentos dos outros, fazer planos, aprender um novo idioma e muito mais. O problema é que tudo tem uma desvantagem. Aqueles que têm excelente reconhecimento de padrões tendem a usá-lo para avaliar outros seres humanos, tornando este tipo propenso a estereótipos.

Em uma série de estudos realizados recentemente na Universidade de Nova York, os pesquisadores determinaram que aqueles que possuíam uma melhor combinação de padrões também eram mais propensos a reconhecer estereótipos sociais e aplicá-los. Mas a pesquisa também identificou algo interessante, esses tipos de pessoas também estavam mais dispostas a mudar sua atitude ou posição.

O principal autor, David Lick, é um pesquisador pós-doutorado no Departamento de Psicologia da NYU. Lick, com os professores assistentes, Jonathan Freeman e Adam Alter, uniram forças para descobrir como os detectores de padrões operam quando entram em contato com estereótipos sociais. Os autores escreveram: “Como a detecção de padrões é um componente central da inteligência humana, pessoas com habilidades cognitivas superiores podem ser estimuladas a aprender e usar eficientemente estereótipos sobre grupos sociais”.

Lick, Freedman e Alter descobriram que habilidades cognitivas avançadas e específicas podem ter uma tendência de desenvolver com certas deficiências. Além desse ponto negativo para estereótipos, as pessoas que conseguem identificar os melhores padrões, consideradas mais inteligentes, também são mais propensas aos sintomas e ao comportamento do TOC – Transtorno Obsessivo Compulsivo. Felizmente, o estudo também mostrou que esse tipo de pessoa também está mais disposta a mudar esses conceitos de estereótipos.

Confira uma rápida retrospectiva da carreira do presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, dentro da instituição financeira

Natural da cidade de Marília, região Centro-Oeste de São Paulo, Luiz Carlos Trabuco nasceu em 6 de outubro de 1951 e formou-se em Filosofia pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH–USP). O executivo também é pós-graduado em Sócio psicologia na Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP).

Acompanhe os principais acontecimentos da carreira do presidente do Banco Bradesco dentro da instituição fundada por Amador Aguiar em 10 de março de 1943 – dos mais recentes aos primeiros anos:

2015 – Luiz Carlos Trabuco já somava seis anos de presidência no banco e consolidou um dos lances mais ousados à frente da companhia bancária – em agosto, o executivo comprou a filial brasileira do HSBC por US$ 5,2 bilhões. Com isso, manteve a instituição financeira na briga pelas primeiras colocações no ranking de ativos.  Foi também em 2015 que Trabuco foi cogitado pela então presidente do Brasil, Dilma Rousseff, para assumir o Ministério da Fazenda – mas ele não aceitou o convite.

2009 – Foi o ano em que o executivo foi indicado pelo conselho de administração para comandar, a partir de março, o banco, que havia acabado de perder a liderança de mercado. O executivo deixou, nesse momento, o cargo de chefe da Bradesco Seguros para assumir o comando da empresa como sucessor de Márcio Cypriano. Nesse ano, Luiz Carlos Trabuco ainda conquistou um lugar na lista das 100 personalidades mais influentes do Brasil, publicada pela revista Época. Trabuco integrou a categoria “Empreendedores & Pioneiros”.

2007 – Luiz Carlos Trabuco completou, neste ano, quatro anos de gestão no comando da seguradora, por conta disso, recebeu, pela segunda vez, o troféu Personalidade de Seguros do Ano.

2003 – Foi quando, além de vice-presidente da companhia, o executivo tornou-se também chefe da seguradora do grupo. Foi nessa ocasião que veio, pela primeira vez, o troféu Personalidade de Seguros do Ano.

1999 – Aos 47 anos de idade e 30 anos de casa, o executivo foi promovido ao cargo de vice-presidente da instituição bancária fundada por Amador Aguiar.

1969 – Ano que marcou o princípio de tudo. Luiz Carlos Trabuco tinha apenas 18 anos de idade e iniciou carreira no Banco Bradesco. Ele começou como escriturário e, com o passar dos anos, foi transitando por áreas como previdência privada e marketing, além de todos os outros escalões de hierarquia.

O banco

Quando começou as suas operações, o Banco Bradesco funcionava com a matriz e mais seis agências, mas sempre valorizou a relação e o contato direto com o cliente – essa foi uma das maneiras que Amador Aguiar, que comandava os negócios nos primeiros anos da instituição, achou para superar a concorrência.

O tempo e as ideias avançadas para cada época transformaram a instituição onde Luiz Carlos Trabuco, hoje, é presidente em um banco de massas – além de pioneira em vários campos.

Em 1946, a companhia bancária passou sua sede de Marília, no interior de São Paulo, para a Capital paulista. Em seguida, de banco regional, a empresa financeira passou a nacional – anexando, ainda, dezenas de outros bancos e instituições financeiras durante toda a sua trajetória.

 

Quais são os alimentos bons para os olhos?

Resultado de imagem para saude dos olhos

Uma alimentação balanceada é imprescindível para uma boa saúde e o bom funcionamento do corpo, porém, existem pessoas que desconhecem os benefícios dos alimentos para a saúde de regiões específicas, como, por exemplo, os olhos.

Conforme vamos envelhecendo, a regeneração das células começa a se tornar mais lenta e difícil, e por isso, com a idade mais avançada começamos a adquirir problemas oculares.

Mesmo com esse “destino” natural, é possível retardar a deterioração da visão e também riscos através de uma boa alimentação, rica em nutrientes como as vitaminas antioxidantes, que estão presentes na vitamina A, C e E. Estas vitaminas mantêm as células oculares saudáveis, retardando a progressão da DMRI. A vitamina C também é conhecida por retardar a catarata.

Estudos recentes têm demonstrado que carotenoides, como a Luteína e a Zeaxartina são benéficos para a saúde ocular, além de retardar doenças crônicas.

O famoso Ômega-3 é essencial para a saúde dos olhos, tanto que a falta dele pode afetar o desenvolvimento da visão em crianças e bebês, por exemplo. Outra enfermidade que também é relacionada a deficiência do Ômega-3 é a síndrome do Olho Seco, que afeta a produção de lágrimas.

Minerais como o Zinco e o Cobre auxiliam na absorção de nutrientes e vitaminas, o que é benéfico para o corpo de uma maneira geral. Mas a combinação de antioxidantes como o Zinco e Cobre potencializam o retardo da DMRI, porém a ingestão nesses casos deve ser acompanhada por um médico, de preferência.

Alimentos como os vegetais de folhas verdes são excelentes para os olhos,já que são ricos em Luteína, além de antioxidantes. A Salsa fresca, o Espinafre e a Couve são ricos em Luteína.

A diversidade de alimentos é o que faz com uma pessoa tenha uma boa alimentação, por isso, coma um pouco de tudo, para absorver o máximo de nutrientes possíveis.

Peixes como o salmão, o atum e a cavala são ricos em ômega-3, por isso são extremamente benéficos. Além do peixe, o ovo também é uma fonte riquíssima em Luteína e Zeaxantina.

O Zinco, encontrado nas ostras, no pão, no leite e em seus derivados, também deve ser consumido com regularidade para que a saúde ocular seja mantida e você tenha, de uma maneira geral, uma saúde equilibrada.

 

Desemprego no Brasil tem acentuada diminuição

Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) o número de desempregados diminuiu em relação ao trimestre passado em 11 das 27 unidades da federação. Os dados são parte da Pnad – Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua. Veja como foi o desempenho de alguns estados.

Os dados divulgados na quinta-feira (17) são referentes aos meses de abril, maio e junho, e mostram uma acentuada redução da taxa de desemprego em relação aos três primeiros meses do ano. Em linhas gerais o desemprego total no país era de 13,7% e agora é de 13%.

Por região

Em todas as regiões houve redução com exceção da região Nordeste, onde a retração de 16,3% para 15,8%, percentual que os técnicos consideram que há estabilidade.

O destaque ficou com a região Norte cuja taxa de desocupação passou de 14,2% para 12,5%; Na região Centro-Oeste, o índice passou de 12% para 10,6%.

No Sudeste, a taxa de desemprego passou de 14,2% para 13,6%, e na região Sul de 9,3% para 8,4%.

Menores e maiores taxas

As menores taxas foram em Santa Catarina cuja média foi de 7,5% seguida de Rio Grande do Sul com 8,4% e Mato Grosso (8,6%).

Pernambuco foi a unidade da federação em que a taxa pulou de 17,1% para 18,8% e Alagoas subiu de 17,5% para 17,8%.

De acordo com Cimar Azeredo, coordenador de Trabalho e Rendimento do IBGE, “nas unidades da federação em que houve aumento da desocupação não foram geradas vagas para dar conta do crescimento da procura pelo por uma ocupação”.

Panorama do emprego

Os dados indicam que a parcela da população empregada no segundo trimestre de 2017 chega a pouco mais de 90,2 milhões de pessoas. Esse montante é composto de 68% de empregados (incluindo empregados domésticos), 24,9% de pessoas que trabalham por conta própria (autônomos) 4,6% de empregadores e 2,4% de trabalhadores familiares auxiliares.

As regiões que apresentam o maior percentual de trabalhadores que atuam por conta própria foram as regiões Norte (31,8%) e Nordeste (29,8%); 75% dos empregados do setor privado estão com carteira assinada; entre a classe trabalhadora doméstica 30,6% deles possuem carteira assinada.

As regiões Norte e Nordeste foram as que apresentaram as menores estimativas para o trabalho com carteira assinada. O percentual é de 59% para a região Norte e 60,8% para a rgião Nordeste.