Pesquisa revela que pequenas mudanças na alimentação garantem uma vida mais longa

Longevidade com qualidade de vida é o que todos nós queremos. A partir disso, cientistas pesquisaram todos os fatores que interferem diretamente para que uma pessoa possa ter uma vida mais longa com saúde.

O estudo publicado pelo New England Journal of Medicine, revelou que o segredo está naquilo que comemos. A receita para a longevidade leva a sério a famosa frase “você é o que você come”, e detalha que pequenas mudanças na dieta faz com que tenhamos uma vida longa e saudável. Essas mudanças são realmente pequenas, segundo os cientistas, e não precisão acontecer de uma vez. O estudo mostrou que a taxa de mortalidade relacionada a doenças cardiovasculares reduziu em até 17%, somente com algumas mudanças na alimentação.

A pesquisa feita pelos pesquisadores da Universidade Harvard, localizada nos Estados Unidos, acompanhou as mudanças na alimentação feita por 74 mil voluntários durante um período de 12 anos. Os voluntários que passaram a comer mais vegetais, grãos integrais, e gorduras de boa qualidade, reduziram o risco de ter uma morte prematura de 8% a 17% durante o período de observação. E o oposto aconteceu com aqueles que passaram a adotar hábitos alimentares cada vez piores, esses voluntários tiveram um aumento no risco de morte prematura de 6% a 12%.

Para chegar nesses resultados, os pesquisadores criaram um método de pontuação em comparação com os alimentos utilizados na dieta de cada participante. A comparação foi feita a cada quatro anos, identificando o quanto a alimentação de cada um teria melhorado. A primeira grande mudança que rendeu bons resultados para a saúde dos participantes, foi trocar todos os tipos de carne, principalmente as processadas, por porções generosas de legumes e nozes. Quem aderiu a esse tipo de dieta, resultou em um aumento na pontuação de até 20%.

Esse benefício pode ser alcançado por qualquer pessoa que passe a ter escolhas mais inteligentes na hora de comer. A nutricionista Nancy Farrel da Academia de Nutrição e Dietética, também dos Estados Unidos, disse que a pesquisa só reforça o que ela já vem aconselhando aos seus pacientes. “Você pode aproveitar as segundas-feiras para fazer um dia inteiro sem carne e incorporar mais alimentos integrais, e tentar levar isso para os outros dias da semana”, disse Farrel.

No caso dos lanches entre as refeições, uma ótima opção seria o consumo de nozes, amendoins ou frutas secas, segundo a nutricionista. Evidente que apenas diminuir ou extinguir o consumo da carne não fará milagres na vida de ninguém. É preciso também deixar de consumir alimentos altamente calóricos, como a tradicional batata frita. Nesses casos, é importante optar por uma opção mais saudável do alimento, como uma batata frita no óleo de coco.

Para quem é viciado em doces, o ideal seria trocar as guloseimas por frutas frescas, ou geladas. Hoje em dia existem diversos substitutos para o açúcar refinado, que são excelentes opções para aqueles que não querem deixar de consumir algo doce. Ou ainda optar por fazer um doce tradicional, de uma maneira mais saudável, como o brigadeiro detox, que além de ser saboroso ainda desintoxica o corpo.