SBT, RedeTV! e Record ameaçam deixar as operadoras de tv paga

As emissoras de tv aberta Record, SBT e RedeTV! comunicaram que irão tirar os seus canais dos pacotes de televisão oferecidos por empresas como NET, Claro, Sky e Embratel, as quatro maiores operadoras de televisão do Brasil.

De acordo com o comunicado oficial, as emissoras informam que essas operadoras se recusaram a renegociar os direitos de transmissão com a Record, o SBT e a RedeTV!, agindo de forma diferente do que fazem com outras emissoras nacionais e com grandes grupos de programação do exterior.

Além disso, as três emissoras ressaltam que, devido ao apagão do sinal analógico de televisão em São Paulo, que irá ocorrer nesse mês de março, elas não terão mais o compromisso de oferecer os seus sinais digitais de forma gratuita para essas operadoras. Em questão de audiência, o SBT e a Record estão entre os três canais da tv aberta mais vistos, ficando atrás somente da Globo, enquanto a RedeTV! se encontra entre os dez canais de maior audiência do país.

Para avançar com uma possível negociação, as emissoras criaram uma joint-venture nomeada de Simba pois, de acordo com o comunicado, elas permanecem abertas para negociar com as operadoras de tv paga e evitar esse desfecho. Segundo as emissoras, o telespectador não será prejudicado pois todo o conteúdo da RedeTV!, Record e SBT está disponível de forma gratuita em todo o Brasil através do sinal digital.

As maiores operadoras do país são a Claro, dona da NET, e a Sky, que possuem 52,6% e 28,1% do total de consumidores da televisão a cabo, respectivamente. Hoje no Brasil existem cerca de 19 milhões de assinantes de tv paga, de acordo com informações divulgadas pela ABTA (Associação Brasileira de Televisão por Assinatura).

 Em comunicado aos seus assinantes, a NET afirmou que continua tentando negociar com as três emissoras, mas disse não ter recebido um retorno. De acordo com a empresa, com o fim do sinal analógico da televisão aberta, os direitos de exibição desses canais abertos depende de uma autorização feita por cada canal. A Sky, por sua vez, não emitiu nenhum comunicado oficial sobre o assunto até o momento.

Em nota, a ABTA (Associação Brasileira de Televisão por Assinatura) ressaltou que não está envolvida nas tentativas de negociação entre as três emissoras e as operadoras. Destacou ainda que, nas condições atuais do mercado de tv paga no Brasil, é impossível renegociar valores mais altos com as emissoras e repassar custos mais elevados para os assinantes.