Conheça as principais transformações da agência de José Henrique Borghi em 2016

O ano de 2016 foi um período de grandes transformações para a Mullen Lowe Brasil, de José Henrique Borghi, a começar pela chegada da Mullen Lowe Profero Global ao país, que é a rede digital do grupo. Após crescer cerca de 30% em 2015, a Mullen Lowe Profero anunciou que iria abrir seu primeiro escritório no Brasil, seguindo a sua tendência de expansão. Além do escritório brasileiro, a rede já atua em cidades como Londres, Nova York, Tóquio, Pequim, Cingapura, Sydney e outras, tendo um quadro de 700 funcionários e grandes clientes como Unilever e Western Union.

Essa rede digital foi desenvolvida através do modelo ‘Hyperbundled’ do Grupo Mullen Lowe, responsável por reunir várias subáreas importantes como soluções de comunicação de marketing, ativações digital e de comportamento do consumidor, CRM, shopper marketing e mídia. Desse modo, seu objetivo é conseguir desenvolver soluções inovadoras de modo integrado para assim conquistar uma parcela consideravelmente maior da atenção do público-alvo para as campanhas de seus clientes.

A chegada dessa rede digital do grupo ao país, para trabalhar em parceria com a Mullen Lowe Brasil, cujo CEO é José Henrique Borghi, é uma ótima oportunidade para se formar um hub digital de máxima qualidade com atuação na América Latina.

O CEO nas Américas da Mullen Lowe Profero, Aaron Reitkopf, destaca que foram duas as razões que motivaram o lançamento da Mullen Lowe Profero no país. A primeira razão é o grande potencial de crescimento do marketing digital demonstrado pelo Brasil, o que levou o grupo a aceitar esse desafio de explorar esse mercado e fazer o possível para desenvolvê-lo. A segunda razão é o grande número de profissionais talentosos que existem no Brasil nesse ramo, os quais serão utilizados para expandir as soluções globais da MullenLowe Profero.

Além disso, outra grande transformação na agência de José Henrique Borghi no ano de 2016 foi a implementação de um núcleo formado inteiramente por Millennials, que são os profissionais com idades entre 20 e 30 anos. O núcleo consiste em uma equipe de oito jovens com perfil voltado para a área digital e de criação. Esses jovens entram também para fazer parte do time de profissionais ‘Hyperbundled’ da agência, o qual reúne talentos de diferentes áreas com o intuito de formar uma equipe com ampla experiência.

Essa nova leva de funcionários que passaram a fazer parte da agência de José Henrique Borghi entraram ocupando cargos de assistentes, redatores e diretores de arte, por exemplo. Foram eles: Leonardo Telles, Beatriz Miguel, Matheus Valery, Vitor Mory, Guilherme Dias, Lucas Menegotto, Jefferson Delospital e Demer Rios.

José Henrique Borghi é um dos publicitários mais reconhecidos do país, já tendo ganho inúmeros prêmios nacionais e internacionais no ramo da publicidade, entre eles, treze leões de ouro no Festival de Cannes, sete estatuetas no importante London Festival e quinze prêmios Abril de Publicidade. Entre as criações mais memoráveis do publicitário estão a campanha “É o Amor” para a Sazon, que incluiu a participação da dupla Zezé di Camargo e Luciano, e também os icônicos comerciais dos Mamíferos da Parmalat, desenvolvidos no final dos anos 90.

 

PEC que retira foro privilegiado de parlamentares vai entrar na pauta do Senado

A pauta referente ao fim do foro privilegiado para parlamentares. O acordo foi feito entre os líderes de partido e será debatido pelo Senado e população. A PEC 10/2013 visa acrescentar uma emenda à constituição para acabar com o foro privilegiado em caso de crimes comuns.

A decisão ocorreu por conta de um requerimento o qual foi apresentado pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e que também foi assinado por outros 50 senadores. O presidente do senado, Eunício Oliveira, afirmou que durante as sessões e intervalos, as partes (a favor e contra) serão ouvidas para dar atenção e o devido encaminhamento. Oliveira deu a entender que o processo será realizado com transparência e que este é o sentimento da maioria do plenário.

A que pé anda a PEC 10/2013

Inicialmente, o pedido da PEC 10/2013 era de tramitação com calendário especial, o que evita prazos para a votação. O acordo entre os líderes de partido permitiu alterar o pedido para regime de urgência. Dessa forma, a apreciação da matéria será feito em um prazo pré – estabelecido, sem que as etapas de discussão sejam esquecidas. Segundo Randolfe os partidos não apresentaram questionamentos contrários a votação.

O texto da PEC 10/2013 prevê que haja o fim do foro privilegiado para todas as autoridades brasileiras, incluindo o presidente quando estes praticarem infrações penais comuns. Também permite que membros do congresso condenados em crimes comuns possam ser presos se forem condenados.

Alvaro Dias, autor da PEC acredita que a discussão está atrasada, uma vez que o texto é de 2013. Sua justificativa para o projeto é a própria constituição que afirma que todos somos iguais perante a justiça. Além disso, o autor afirmou que o STF não tem condições de julgar tantas ações, o que o transforma em um instituto da impunidade. Esse último é visto como o principal motivo para que 68% das ações prescrevam e que menos de 1% dos julgados são condenados pelo Supremo.

No Senado, há parlamentares a favor e contra a PEC. Entre os favoráveis estão a senadora Gleisi Hoffmann (PT – SP), Ana Amélia (PP-RS) e Vanessa Grazziotin, além dos senadores Jorge Viana (PT-AC), (PCdoB-AM), José Agripino (DEM-RN) entre outros.

O senador de Brasília Reguffe (sem partido-DF) e João Capiberibe (PSB-AP) afirmaram ainda que em vários países não a foro para nenhum a função.

Já o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) afirmou ter profundas discordâncias com o texto. Para ele é preciso haver algum tipo de proteção ao exercício dos mandatos. O senador foi denunciado pelo STF no fim de 2016 por corrupção passiva.

Outro que se mostrou contra a PEC foi o senador Roberto Rocha (PSB-MA). Na visão dele mudança deixaria os parlamentares à mercê de denúncias conduzidas por promotores de primeira instância.

 

Tendências para o inverno 2016

Prepare-se para ficar de queixo caído com as tendências da moda outono inverno 2017, tem peças para todos os gostos e estilos.

Mesmo quem não é tão ligado a moda sabe que o que vemos nas lojas é o reflexo das chamadas tendências. Se você quer saber o que vai bombar nas estações mais frias de 2017, está no lugar certo. Nesta matéria vamos revelar as principais tendências da moda outono inverno 2017.

O mais interessante é que tem opções para todos os gostos e estilos, desde quem gosta de peças mais extravagantes por seus volumes e aplicações, até para quem prefere seguir uma linha sensual elegante.

Preparada para conhecer essas tendências para arrasar?

Puffer Jackets

Talvez você tenha tido uma jaqueta dessas quando era criança e nunca imaginou que a veria com status de fashion e tendência de moda.

Esse tipo de jaqueta é bastante usado por quem faz esportes na neve, e para chegar as ruas passou por uma pequena transformação que tornou seu shape mais sequinho.

Os cortes e acabamentos também receberam uma repaginada. O melhor é que essas jaquetas esquentam com muita eficiência.

Tom rosa pastel

Para quem é adepta da doçura de tons pastel, como o rosa, o outono/inverno 2017 promete.

Muitas grifes tem usado o tom em algumas peças e boa parte das fashionistas já está apostando em produções completamente nesses tons mais clarinhos.

Pode ser legal para deixar os seus looks com uma pegada girlie.

Sobreposição de vestido e t-shirt

Uma das tendências da moda outono inverno 2017 mais vistos em desfiles foi a sobreposição de t-shirt podrinha e básica com vestido.

Foram vistas várias alternativas para criar esse visual, desde vestidos ao melhor estilo slip dress até peças mais estruturadas e pesadas para aqueles dias em que o frio está mais intenso.

Gola alta

Parece que o outono/inverno 2017 trará de volta a tona a gola alta com estilo, já avisamos que o básico não terá espaço nessa tendência.

A ideia é proteger o pescoço do frio com golas fake cheias de estilo, máxi colares, cachecóis, lenços ou o que mais a sua criatividade sugerir. Para quem mora em lugares com muito vento essa tendência é perfeita.

Oxford metalizado com sola tratorada + vestido

Os sapatos com estilo mais confortável, como tênis, têm ganhado cada vez mais espaço nas principais tendências de moda.

Os modelos básicos, como o tênis branco que apareceu forte em 2015, estão evoluindo para modelos mais fashionistas como os oxfords metalizados que ainda darão muito o que falar.

A dica fashionista é combinar esse sapato tendência com peças mais femininas, como vestidos ajustados ao corpo.

Tendência militar

Para quem gosta da brincadeira de feminino e masculino na moda, a dica é se jogar no uso de referências militares.

Porém, esqueça o caricato e já ultrapassado camuflado, agora a tendência é seguir um visual mais sintético e com referências mais conceituais.

Os cortes das peças lembram cortes de fardas, e o verde oliva está cada vez mais presente nas passarelas e no street style. Reinvente essa tendência adicionando sensualidade.

Veja mais em nosso site http://ego.globo.com/moda/noticia/2017/03/tops-listam-tendencias-de-moda-para-o-outono-inverno-2017-veja-dicas.html

 

Mindhunters é o mais novo thriller de David Fincher

mindhunters

Para a felicidade dos viciados em série, a Netflix divulgou o primeiro teaser de uma série que promete deixar os telespectadores de cabelo em pé. A produção é um thriller que leva o nome de Mindhunters, e leva o nome de um dos maiores produtores do cinema, David Fincher, em parceria com Charlize Theron. A nova série não é só mais uma novidade no mundo das séries, mas também é um marco grandioso para a volta do produtor em grandes produções como esta que será exibida pela Netflix.

Fincher, que já havia produzido a primeira temporada da série House Of Cards, agora volta com tudo em uma mistura envolvente de suspense e ação. Essa mais nova história produzida pelos produtores Theron e Fincher, mergulha na mente completamente insana de diversos assassinos em série da década de 70. Toda a trama trás aquela velha semelhança que é o marco principal de Fincher, o lado sombrio e tortuoso dos personagens, como os filmes: Clube da Luta e Seven, dois filmes de sucesso dirigidos por ele.

A divulgação do teaser aconteceu no dia primeiro de março, no próprio canal no youtube da Netflix. A história da série se passa sob a vigília de dois agentes do FBI: Jonathan Groff (interpretado pelo ator Holden Forde), e Holt McCallany (interpretado pelo ator Bill Tench). Os dois são encarregados de fazer diversas entrevista com os mais variados serial killers aprisionados. Eles partem em uma busca incansável para entender a mente humana de cada um dos criminosos. Entender características como o impulso ou a motivação que os leva a cometer um crime, o discernimento de cada um em relação aos crimes cometidos, e o psicológico dos assassinos, tudo para poder compreender os casos atuais que eles precisam resolver.

O teaser divulgado, ainda lança um questionamento dos próprios personagens que parecem se dividir no pensamento em mandar os psicopatas para a cadeira elétrica, ou ter compaixão por eles. As frases repercutidas no teaser deixa um gostinho curioso em saber como será cada episódio da série. Em se tratando de David Fincher, podemos aguardar fortes emoções e grandes reviravoltas ao contar da história, como acontece na maioria dos filmes feitos pelo produtor.

Além dessa série que chega em outubro ao serviço de transmissão online Netflix, outras séries, filmes e documentários já fazem parte da cartela cinematográfica do serviço. Desde o começo do mês de março, a Netflix começou a fazer novos lançamentos que contam com alguns filmes e séries muito aguardadas pelo público, como é o caso do filme 50 Tons de Cinza que tem o lançamento previsto para o dia 12 de março, e a terceira temporada da série que repercutiu bastante no público aficionado por séries, “Grace and Frank”, que irá ocorrer no dia 24 do mesmo mês.

 

Ministra Luciana Lóssio integra o Conselho Nacional de Direitos Humanos

Em 2011, a advogada Luciana Lóssio deu um grande passo em sua carreira ao ser indicada para ser ministra substituta do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Após dois anos de excelentes trabalhos oferecidos em prol do Direito Eleitoral, a ministra passou a integrar efetivamente a casa.
Por seu caminho sólido de muitas conquistas para atender as principais necessidades sociais dos brasileiros, Luciana Lóssio foi indicada também para integrar o Conselho de Direitos Humanos, no final de 2014.
Foi o ministro Ricardo Lewandowski, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), que, em novembro de 2014, indicou um representante do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) a compor o Conselho Nacional de Direitos Humanos (CNDH).
Luciana Lóssio comemorou o fato de ser indicada a compor o órgão que possui atuação relevante para proteger a vida dos brasileiros por meio de diretrizes dos Direitos Humanos. A ministra viu a oportunidade como especialmente proveitosa, já que poderá estudar e aplicar com afinco a garantia dos direitos dos brasileiros. Estudiosa no campo que tange a proteção à população carente, a ministra, certamente, terá todas as condições de colaborar com a evolução nos direitos que todos os cidadãos têm, seja qual for sua classe social.
O Conselho dos Direitos Humanos é um órgão crucial para atender, promover e resguardar os direitos das populações mais carentes e situações que exigem interferência legal para assegurar seus direitos civis. Protetor ativo e eficaz dos brasileiros, o órgão é indispensável para reparar situações extremas em comunidades que vivem à margem de condições dignas.
Sua principal defesa vai de encontro a grupos sociais compostos por crianças e adolescentes, idosos e deficientes. As atividades do Conselho são convictas em erradicar o trabalho escravo, oferecer a defesa de liberdade sobre orientação sexual e outros grupos de minorias.
Antes de seu trabalho encorajador junto ao Conselho de Direitos Humanos, a ministra Luciana Lóssio alcançou outras conquistas que valorizam sua representatividade social.
Em outubro de 2011, ao ser indicada para ser ministra substituta do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a advogada passou a ser a primeira mulher a ocupar uma das vagas destinadas a juristas. Quando em fevereiro, a ministra ocupou o cargo de maneira efetiva na casa, teve sua conquista aclamada pela presidente do TSE na ocasião, ministra Carmen Lúcia.
A posse de Luciana Lóssio foi significativa não só pelo fato de ter alcançado altíssimo degrau na vida profissional de grandes advogadas, mas, também, porque significou a maioria no número de mulheres com relação a homens no quadro de juízes efetivos. Naquele momento, a ministra tornou-se a quarta mulher em um total de sete ministros na conjuntura do TSE.
A ministra Carmen Lúcia reforçou que a diminuição na quantidade de mulheres em cargos de alto escalão era, principalmente, em razão do fato de cada vez mais, mulheres ingressarem nas faculdades.
A cerimônia de posse ocorreu em evento memorável e foi celebrada com presenças ilustríssimas de autoridades jurídicas, além de políticos e ministros de outras pastas, o que reforçou, mais uma vez, o forte prestígio que a ministra conquistou graças às suas preciosas contribuições para a população.

 

Microalga cultivada em estudo é capaz de gerar biocombustível

A Embrapa Agroenergia realizou uma pesquisa em Brasília onde foi possível identificar algumas espécies de microalgas capazes de gerar matéria-prima renovável para usar como combustível. Para atingir esse estado de biocombustível, as micro algas foram cultivadas a partir de resíduos líquidos providos do processamento das agroindústrias. As microalgas ainda apresentam uma funcionalidade maleável e pode ser usada também como matéria-prima para fazer produtos, cosméticos e rações. O estudo que durou cerca de três anos, também conseguiu identificar algumas espécies brasileiras.

O estudo foi realizado através da utilização da vinhaça, que é os resíduos descartados da produção de açúcar e etanol de cana, e também o pome, conhecido como “palm oil mill effluent”, que vem do processamento do óleo de dendê. A utilização dos dois resíduos alimenta as microalgas para que elas possam gerar bioprodutos. Além disso, os pesquisadores da Embrapa afirmou que a produção da cana e do dendê deverá ser mais valorizada já que a sua utilização na criação de microalgas agregará mais valor a produção.

Essas chamadas de plantinhas aquáticas, na verdade não são plantas. As microalgas, ou algas, são organismos unicelulares, no caso das microalgas são do tamanho microscópico. Elas vivem na água, e apesar de não serem plantas, elas conseguem realizar o processo de fotossíntese. As microalgas têm como característica a rápida reprodução da espécie, sendo assim a Embrapa afirma que muito óleo poderia ser gerado a partir da utilização dessas microalgas.

Em termos de quantidade, a produtividade pode aumentar para 100 vezes a mais que a tradicional produção de combustíveis. Essa característica foi a mais interessante para os investidores de alguns setores que necessitam de muito combustível para a produção em massa de alguns produtos.

As microalgas ainda são extremamente valiosas para dois outros comércios, o de suplementos alimentares e o de cosméticos. Isso porque a produção de óleo dessas microalgas, conseguem extrair componentes que são valiosos para esses dois mercados, como é o caso de carotenoides e do Ômega 3. Tanto o mercado de suplementos alimentares quanto o de cosméticos precisam desses componentes para a fabricação de diversos produtos, sendo assim eles costumam pagar bem caro pela matéria-prima.

A Embrapa Agroenergia alegou que existem cerca de quatro empresas que já produzem microalgas no Brasil. Dentre elas duas estão localizadas no Nordeste, com o cultivo voltado para a nutrição de animais e humanos, e as outras duas empresas estão localizadas no interior de São Paulo, que atua com o intuito de atender grandes indústrias que utilizam a matéria-prima extraída das microalgas para a fabricação de rações, cosméticos e até mesmo para o tratamento de resíduos jogados na água.

As fontes de energias renováveis são uma busca cada vez maior para a diminuição da população em todo o mundo, pensando nisso, alguns países já começam a mostrar que está mudando os conceitos da utilização de combustíveis fósseis, como é o caso da Irlanda que aprovou uma lei onde o governo não investirá mais em combustíveis fósseis.

 

Claudio Loureiro, Heads Propaganda e o empoderamento feminino

Há 27 anos nascia no Brasil a agência de publicidade Heads Propaganda, de Claudio Loureiro é considerada uma das maiores agências do Brasil. E é o resultado do trabalho do publicitário Claudio Loureiro, um dos empresários de maior notoriedade e destaque do momento é conhecido por correr atrás de seus sonhos e conseguir enxergar sempre o melhor em qualquer situação, destemido e ousado encontra sempre novas formas de fazer publicidade, trazendo ao público brasileiro o que há de mais moderno e inovador no ramo publicitário.

Sob o comando se Claudio Loureiro a Heads Propaganda se tornou a primeira empresa brasileira a se alinhar as políticas de empoderamento feminino da ONU.

Diante da crescente onda de preconceito e discriminação de gêneros, onde são recorrentes episódios de violência e discriminação contra a mulher, a (ONU) Organização da Nações Unidas criou em 2010 a entidade ONU Mulheres, o projeto tem como principal objetivo a promoção e valorização da mulher na sociedade, com políticas de inserção no mercado de trabalho e qualificação profissional a ONU Mulheres destaca a importância da presença feminina em cargos de confiança e chefia, o projeto ONU Mulheres tem conseguido atingir bons resultados e vem sendo amplamente elogiado.

Seguindo a ideologia da entidade, a agência de publicidade Heads de Claudio Loureiro, criou a campanha TODXS POR ELA, para o publicitário, promover o empoderamento feminino traz benefícios não só para o público feminino, e sim para a sociedade como um todo, a campanha TODXS POR ELA, apresentou em um evento da ONU Mulheres um estudo sobre a presença e representatividade feminina no meio publicitário, o estudo destacou a importância do incentivo as práticas de igualdade de gêneros e propôs uma discussão para levantamento de problemas e possíveis soluções.

O projeto realizado pela agência de Claudio Loureiro, Heads Propaganda analisou como a mulher é representada na mídia, e o impacto que essa imagem cria na sociedade, analisou a importância da mídia na construção de uma sociedade mais tolerante e livre de preconceitos, divido em dois momento e evento apresentou na primeira parte histórias de incentivo à construção do protagonismo social feminino, destacou histórias de sucesso e reuniu personagens importantes da luta pelo empoderamento das mulheres. O segundo momento foi marcado pelo lançamento do documentário Precisamos falar com os homens? Uma jornada pela igualdade de gênero, o documentário apresentou o resultado de uma pesquisa realizada com mais de quarenta mil pessoas sobre o tema masculinidades, após a exibição foram realizados bate papos acerca dos temas abordados.

A união Heads Propaganda e ONU Mulheres, é resultado de uma luta por um mundo mais igualitário e justo, e marca mais um passo importante para a carreira do brilhante empresário Claudio Loureiro, que vem desempenhando seu papel social de forma admirável, sob sua gestão a agência tem conquistado vários prêmios e reconhecimento, a empresa foi eleita por três anos consecutivos uma das melhores empresas de publicidade do Brasil para se trabalhar, com esse perfil tão inovador não é de se admirar que a agencia se envolva com tanta paixão em uma causa como a da ONU Mulheres.

 

Déficit de atenção pode ter ligação com o tamanho do cérebro

Um novo estudo afirma que as pessoas com TDAH – Transtorno por Déficit de Atenção com Hiperatividade, possuem um cérebro menor que as outras pessoas, e que essa seria uma das razões para o problema. O estudo é atualmente o maior já realizado especialmente para estudar o cérebro das pessoas que são acometidas pela síndrome. Segundo os cientistas, foi possível observar não somente um tamanho levemente menor do cérebro, mas como também algumas diferenças na parte estrutural dos cérebros dos pacientes.

A Holandesa do Centro Médico da Universidade Radboud, Martine Hoogman, disse: “Os resultados de nosso estudo confirmam que as pessoas com TDAH têm diferenças na estrutura cerebral, o que sugere que o TDAH é um transtorno no cérebro”. A cientista afirmou que os resultados são visíveis, ou seja, são físicos. O TDAH, que muitas pessoas julgavam ser um problema de má conduta, na verdade está mais ligado com a parte física do cérebro. “Esperamos que isto ajude a reduzir o estigma de que o TDAH é ‘apenas um rótulo’ para crianças com dificuldades ou que é provocado por uma educação pobre”, afirmou Martine Hoogman.

Atualmente, o transtorno é visto como um rótulo para determinar que uma criança tem dificuldade em aprender e interagir com as pessoas. Sendo que na maioria das vezes é associado erroneamente a uma educação inferior dos pais ou do lugar onde a criança mora. O que não é verdade, pois a síndrome tem ligações físicas que jamais havia sido observadas antes.

Os resultados obtidos pelo estudo foram publicados na The Lancet Psychiatry – uma revista especializada em psiquiatria. O estudo contou com a ajuda de 1.713 participantes diagnosticados com o transtorno e 1.529 participantes sem o diagnóstico da doença.

Esse transtorno é na maioria das vezes observado e diagnosticado ainda na infância, porém existem casos de pessoas adultas com a síndrome. As pessoas que sofrem com o TDAH geralmente apresentam sintomas como dificuldade para se concentrar, hiperatividade e atitudes impulsivas. As causas que acometem o transtorno ainda são de grande dúvida entre os especialistas, sendo que a maioria ainda afirma que o TDAH não passa de um pretexto para poder utilizar medicamentos que controlam o temperamento e o comportamento das crianças mais agitadas.

Já o estudo gera um grande conflito, pois foi observado que as pessoas diagnosticadas com o TDAH possuíam um cérebro com estruturas diferentes das pessoas sem o diagnostico. Martine Hoogman, juntamente com sua equipe, analisaram ressonâncias magnéticas cedidas pelos participantes com idades entre 4 e 63 anos, com ou sem o diagnostico da síndrome. Além disso, eles mediram o volume total para determinar o tamanho do cérebro. As pessoas que possuíam o diagnostico apresentavam um volume menor que as pessoas sem o diagnostico.

Tratamento de diabetes sem remédio será a fonte de uma nova pesquisa da USP

Uma nova pesquisa que visa o tratamento de diabetes sem o uso de medicação será realizada pela FMRP/USP – Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Os estudiosos lançaram o convite para pessoas que portam o tipo 2 da doença, com idade entre 30 e 60 anos, para participarem voluntariamente da pesquisa. Para isso eles já deixam bem claro que o participante não poderá fazer uso da insulina e nem apresentar disfunções no metabolismo, tendo como base, o colesterol e os triglicérides acima de 200 mg/dL.

A equipe acadêmica quer estudar um novo método de tratamento da doença com o auxilio de uma dieta totalmente personalizada e restritiva. Rafael Ferraz, que é pesquisador do Departamento de Endocrinologia da FMRP/USP, disse sobre a pesquisa: “Nós vamos de encontro à indústria farmacêutica, que sempre entra com remédio. Nós não entramos com remédio”. O pesquisador aponta para a objetividade do tratamento com remédio em se tratando da movimentação de muito dinheiro por meio da indústria farmacêutica. Além do que é valido lembrar que a mesma indústria que vende o remédio, também vendo o veneno em forma de, gorduras trans, transgênicos, excesso de sódio e açúcar.

A professora Maria Cristina Foss-Freitas, ao lado do coordenador do estudo, Rafael Ferraz, desenvolveram uma espécie de protocolo alimentar especialmente para tratar a doença. O protocolo consiste na pouca ingestão de calorias, até que o metabolismo energético seja ativado sem que o paciente entre em estado de desnutrição.

Ferraz salientou: “A gente conseguiu achar uma fórmula matemática e transformá-la em alimento, em macronutrientes ideais para cada paciente e reverter a diabete”. O pesquisador se mostra totalmente entusiasmado com o protocolo criado por eles, e dá indícios de que o método funciona: “Dados preliminares de sete pacientes mostram que conseguimos controlar a diabete e a dislipidemia, além de reduzir os níveis de pressão a índices saudáveis.”

O acompanhamento dos pacientes é feito periodicamente pelos pesquisadores através de exames clínicos, bioquímicos e moleculares para saberem como o organismo está reagindo. O tratamento tem duração de apenas 27 dias, e já está sendo feito com alguns pacientes no Hospital das Clínicas da FMRP/USP, na cidade de Ribeirão. No entanto, ainda existem 33 vagas disponíveis para aqueles que querem experimentar a possibilidade de se livrar dos remédios além de colaborar com uma pesquisa que pode mudar o tratamento de diversas doenças.

Os interessados em se voluntariar podem enviar um e-mail para: [email protected]. É requerido que o voluntário envie resultados recentes de exames com os dados de glicose, colesterol e triglicérides para poder avaliar o estado do paciente e afirmar se ele pode participar da pesquisa. Se o voluntário se enquadrar com o protocolo necessário para a pesquisa, irá receber maiores informações pela equipe de pesquisadores para que possam prosseguir até o local do estudo.

 

Taxa de juros do cartão de credito bate novo recorde

Apesar da crise econômica estar de acordo com os economistas em retrocesso, e da inflação estar diminuindo, a taxa de juros do rotativo do cartão de crédito não parece seguir a mesma tendência. A taxa subiu mais uma vez este inicio de ano, e bateu novo recorde.

O Banco Central informou esta semana que a taxa chegou a 486,8% ao ano 2,2 percentual de aumento na tarifa em relação a dezembro do ano passado. Este é o maior aumento desde o inicio em 2011.

Para aqueles que não conseguem entender do que se trata o rotativo do cartão de credito, este é o credito que o consumidor faz uso toda vez que não paga o valor total de sua fatura mensal. De acordo com a analise a taxa do credito parcelado também sofreu aumento de 161,9% ao ano, a alta foi de aproximadamente 8.1 percentual em relação a dezembro.

Além disso, o Banco Central ainda informou sobre um aumento no cheque especial. Seu aumento foi de aproximadamente 328,3% ao ano.

Os atrasos com mais de 90 dias, também chamadas de inadimplência do credito para pessoas físicas ficou nos mesmos 6% do mês de dezembro.

Os dados cedidos são considerados de credito livre, ou seja, o banco tem autonomia para decidir o que será feito com o dinheiro que foi captado no mercado e como pretende definir as taxas de juros.

No caso dos empréstimos realizados pelo governo para moradia, para o setor rural ou de infraestrutura, também chamado de credito direcionado para pessoa física apresentou estabilidade, 10,4% ao ano. Porém, a taxa cobrada para pessoas jurídicas recebeu um leve aumento de 12,5% ao ano.

O Banco Central também informou que o saldo de todas as operações de credito executadas no ano passado contabilizam mais de 3 trilhões de reais.

O aumento histórico revela de acordo com especialistas em dividas que o brasileiro não esta sabendo lidar com o seu cartão de credito e tem mergulhado cada vez mais em dividas impagáveis. Especialistas orientam que de forma alguma é inteligente ficar pagando o mínimo da fatura todos os meses. Isso só vai continuar aumentando as taxas de juros da sua divida fazendo com que você fique muito mais tempo pagando a divida, rendendo muito mais dinheiro ao banco.

Analistas econômicos explicam que é necessário um planejamento para lidar com dividas de cartão de credito.